Apesar da quebra na produção a 6.ª Montra da Cereja “foi um sucesso”

Foto: Ana Portela

Foto: Ana Portela

Realizou-se a 4 e 5 de junho, na avenida Dr. Alfredo de Sousa, em Lamego, a 6.ª Montra da Cereja da Penajóia. O certame é organizado pela Câmara Municipal e pela AMIJÓIA em parceria com diversas entidades, públicas, privadas e produtores.

Foram cerca de 20 os produtores que participaram na 6.ª edição da Montra da Cereja e 7 os expositores que vendiam produtos derivados de cereja, artesanato, acessórios de moda, chás, licores, doces e outros produtos gastronómicos como o folar de cereja, entre outros.

Nas bancas dos vendedores, cada caixa que possuía dois quilos de cereja foi vendida ao preço único de 7,5€, enquanto que as caixas de um quilo foram vendidas a 4€. Além das tradicionais Cerejas da Penajóia, o cone/cartucho inovador, constituído por um porta caroços secreto localizado no seu interior, e que descreve em simultâneo a famosa Cereja da Penajóia foi “uma das grandes atrações da Montra, tendo sido vendido a 1,50€ a unidade”, frisou Romeu Sequeira, presidente da Penajóia e da AMIJOIA (Associação de Amigos e Produtores da Cereja da Penajóia).

Para além da comercialização da cereja e dos seus diversos derivados, no programa do certame estiveram também alguns espétaculos de animação cultural, como atuações de ranchos folclóricos, grupos de dança, tunas académicas e declamações de poesia.

“As diversas atividades lúdicas desenvolvidas no âmbito deste evento consistiram num grande sucesso, destacando-se o Chá das Cinco, que contou com o apoio da Confraria Gastronómica de Lamego”, sublinhou Romeu Sequeira, acrescentando que juntamente com o Chá foram servidos biscoitos de Cereja da Penajóia e um novo produto gastronómico, a bôla de cereja da Penajóia, ambos confecionados pela Escola de Hotelaria e Turismo do Douro – Lamego.

“A Montra da Cereja tem vindo ano após ano a afirmar-se e é um evento no qual vamos continuar a investir, exactamente naquele modelo, não é uma festa da cereja, mas sim uma montra que mostra a nossa produção e onde se vende a nossa cereja”, afirmou Francisco Lopes, presidente da autarquia, ao VivaDouro

“Apesar da menor oferta de cereja apresentada pelos produtores da freguesia da Penajóia, o certame foi um sucesso, dado que os cerca de 2.000 kg apresentados foram totalmente vendidos muito antes de o evento encerrar”, confessou ao VivaDouro Romeu Sequeira, agradecendo a todas as entidades que se aliaram a este projeto para “o transformar numa mais-valia para esta região”.

Francisco Lopes fez um balanço positivo do evento, “a montra correu bem, com quase a totalidade dos produtores da Penajóia a estarem presentes, mais uma vez privilegiando o contacto direto entre o produtor e o consumidor”, referiu o autarca.

Cherry Sparkle, a novidade da sexta edição

A grande novidade da 6.ª Montra da Cereja da Penajóia consistiu na apresentação da Cherry Sparkle, uma bebida frisante de cereja, que de acordo com Romeu Sequeira, “foi sem dúvida um sucesso entre os visitantes”. A bebida é constituída 90% à base de cereja e está já a ser comercializada numa rede de supermercados em Guimarães e Famalicão e numa pastelaria do concelho.

O VivaDouro esteve à conversa com Gil de Ribeiro, criador da Cherry Sparkle e gerente da OPEDouro – Organização de Produtores do Douro, empresa que é responsável pela confeção da bebida alcoólica.

“Foram centenas de apreciadores que visitaram o nosso stand e que quiseram degustar o sabor único desta bebida, que é também única no mundo”, salientou Romeu Sequeira.

“A ideia surgiu por causa do excedente de cereja, quis criar uma bebida totalmente diferente do que já existia no mercado”, revelou o gerente da empresa. “Tem sido um sucesso, estivemos na XANTAR em Ourense e na Feira Agrícola e foi um sucesso, já fizemos bons contactos, não esperávamos criar um sucesso como está a ser”, afirmou.

O gerente da OPEdouro contou ao VivaDouro que já foram mandadas amostras da bebida para Alemanha e França, estando neste momento a estabelecer contactos para os Açores e Madeira.

Cada garrafa custa 5 euros, um preço justo na perspetiva de Gil de Ribeiro quando comparado com outros preços de mercado. “A Cherry Sparkle está para dar cartas no mercado, tanto no nacional como no internacional”, concluiu.