CDS escolhe líder em Lamego

A informação já foi confirmada pelo partido, que assim regressa à cidade onde Assunção Cristas foi consagrada presidente.

O 29º congresso do CDS-PP está marcado para os dias 27 e 28 de novembro e irá decorrer no Pavilhão Multiusos, espaço também utilizado em 2018. A cidade lamecense “ganhou a corrida” à organização da reunião magna dos centristas, contra as cidades de Portimão e Pombal.

De acordo com o regulamento do 29.º Congresso Nacional do CDS-PP, cabe à Comissão Organizadora do Congresso (COC) escolher o local para a reunião magna, e o regulamento para a eleição dos delegados refere que as estruturais locais e distritais podiam “apresentar, à COC, candidatura para o local a realizar o congresso”.

Para o presidente da concelhia do CDS-PP de Lamego, José Pinto, a notícia foi recebida “com imensa alegria”

“A concorrer com cidades de maior dimensão, que também apresentaram todas as suas potencialidades, esta escolha é bem demonstrativa que Lamego está a voltar ao futuro, mostrando ao país que está preparada para a realização de grandes eventos”, afirmou.

O agora também vereador autárquico no poder destaca que “o XXIX Congresso do CDS-PP trará à cidade de Lamego cerca de 2.000 participantes, vindos de todo o país (continente e ilhas), entre congressistas, convidados e toda a comunicação social nacional, tornando-se num evento da maior importância e relevância, não só para o tecido económico na área da restauração e hotelaria de Lamego, mas para toda uma região que vai de Viseu a Vila Real, esgotando toda a capacidade hoteleira”.

José Pinto acredita que “os lamecenses estarão preparados para mais uma vez deixarem o registo da sua marca na arte de bem receber e de mostrar o que temos de melhor, acreditando que a presença de toda a imprensa nacional constituirá mais um importante momento para a divulgação e projeção da nossa cidade.

Esta é uma marca que nos distingue e que posiciona Lamego num papel de liderança estratégica territorial na região e no país”.

Atualmente são dois os candidatos à liderança do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, que se recandidata ao cargo, e o eurodeputado Nuno Melo.

Da ordem de trabalhos do congresso consta, além da eleição dos órgãos dirigentes do partido para o biénio de 2021/2023 e da sua tomada de posse, a apresentação, discussão e aprovação das moções de estratégia global e de estratégia setoriais.

Numa altura em que a indecisão política futura é muita (no momento do fecho desta edição não está ainda efetivado o chumbo do OE2022), a escolha do líder centrista poderá ser adiada, de acordo com algumas fontes do partido, que acreditam que Francisco Rodrigues dos Santos preferia ver sufragado o seu projeto em eleições nacionais, antes de enfrentar a oposição interna.

,