“Monopólio” alimentar mostra a utentes da Misericórdia de Lamego o que devem comer

A alimentação saudável é um fator decisivo para o normal desenvolvimento da saúde das crianças, prevenindo por exemplo algumas doenças associadas à má alimentação, como a obesidade.

Por outro lado, os idosos com o passar dos anos ficam mais suscetíveis a complicações que decorrem do envelhecimento e que aumentam o risco de défices nutricionais. A pensar nestas problemáticas em idades tão distintas, a Misericórdia de Lamego assinalou o Dia Mundial da Alimentação com a realização do jogo “Eco-Saudável”, muito ao jeito do clássico “Monopólio”.

Os jogadores que participaram neste novo desafio foram os utentes do jardim de infância e os idosos do lar da instituição.

Ao longo do jogo, crianças e seniores celebraram as suas conquistas, respondendo a várias questões sobre sustentabilidade, saúde e boas práticas alimentares. “A produção de legumes é mais saudável para o ambiente do que a carne?” ou “As tangerinas e laranjas ajudam o corpo a combater doenças?” foram algumas das perguntas colocadas aos dois grupos pela nutricionista da Misericórdia de Lamego.

Celebrado desde 1981, o Dia Mundial da Alimentação visa alertar e consciencializar a opinião pública para questões globais relacionadas com a alimentação e nutrição. Segundo a UNICEF, milhões de crianças continuam a morrer em todo o mundo devido a causas relacionadas com a desnutrição. Por outro lado, só em Portugal, é desperdiçado por ano um milhão de toneladas de alimentos.

,