Orçamento da Misericórdia prevê saldo positivo no próximo ano

0

O Plano de Atividades e Orçamento para 2022 da Santa Casa da Misericórdia de Lamego, aprovado por unanimidade pelos irmãos presentes na última Assembleia Geral, prevê a continuação da recuperação financeira desta instituição e a sua sustentabilidade.

Está previsto que o resultado final positivo seja superior a 110 mil euros, tendo em conta o orçamento das receitas e das despesas correntes e de capital. “É um Orçamento exequível, cauteloso e rigoroso que traduz um enorme esforço de um conjunto de pessoas, em particular dos órgãos de gestão e dos colaboradores. Não deixaremos de procurar novas formas de autofinanciamento e de obtenção de receitas que sejam capazes de cobrir as despesas, de modo a cumprir o princípio de equilíbrio orçamental”, defende o Provedor António Pinto Carreira.

A elaboração do Plano de Atividades e Orçamento teve como princípio orientador o compromisso assumido pela Mesa Administrativa de prosseguir a retoma da situação económico-financeira da instituição.

Assim, durante o próximo ano, está prevista a obtenção de receitas, num montante superior a 470 mil euros, provenientes de duas candidaturas apresentadas à Comunidade Intermunicipal do Douro (CIM DOURO) e ao Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES). Com este valor, poderão ser concluídas as obras de remodelação do Lar de Arneirós e no edifício-sede da Misericórdia, bem como a aquisição de equipamentos de conforto para o Lar e para outras valências.

“Não existe empolamento de receitas, nem sobrevalorização de despesas. A nossa atuação continuará a servir os interesses da Santa Casa e esta missão, apesar das dificuldades que temos vivido, continuará para além de nós”, sublinha.

Durante a apresentação das linhas gerais de atuação na Assembleia realizada a 26 de novembro, António Carreira também anunciou que a instituição poderá apresentar no final deste ano um défice inferior ao previsto. “Este ano será certamente melhor do que estávamos à espera”, destaca.

Numa altura em que os efeitos da pandemia voltam a agravar-se e a introduzir um maior grau de incerteza no país, o Provedor da Misericórdia de Lamego sublinha o difícil contexto social e económico no qual operam as instituições de solidariedade social. A juntar a isto, o valor das despesas com pessoal será agravado, devido a um novo aumento do salário mínimo nacional.

A encerrar a intervenção que dirigiu aos Irmãos, António Carreira manifestou ainda o desejo de que as instalações do antigo Hospital de Lamego, propriedade desta Santa Casa, que se encontram devolutas, “possam ser aproveitadas no futuro, mediante o estabelecimento de parcerias com o Município de Lamego que permitam o aproveitamento do espaço para fins ligados à saúde”.

O Plano de Atividades e Orçamento para 2022 mereceu o parecer positivo do Conselho Fiscal. Os Irmãos aprovaram ainda, por unanimidade, um voto de pesar pelo falecimento de José da Silva, digníssimo Irmão e antigo Mesário, que “ofereceu muito do seu tempo e disponibilizou muitas vezes os seus bens pessoais para proporcionar às diversas valências que constituem esta instituição as melhores condições para a prossecução da sua atividade diária”.