João Galamba entregou licenças de distribuição de gás natural

O Secretário de Estado da Energia, João Galamba, esteve na passada sexta-feira, dia 5 de julho, em Mesão Frio, para presidir à cerimónia pública de entrega de licenças de distribuição de gás natural.

A formalidade aconteceu no Salão Nobre da Câmara Municipal, perante os representantes das forças vivas do concelho e da empresa Dourogás, que testemunharam o ato. A instalação da rede de distribuição de gás natural, em Mesão Frio, está preparada para o efeito e representa o investimento total que ascende a 1,2 milhões de euros.

Juntamente com o Secretário de Estado da Energia, que assinou o livro de honra do município, constituíram a mesa de honra, Alberto Pereira, presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio e Armando Moreira, presidente do Conselho de Administração do grupo Dourogás.

O edil mesão-friense congratulou-se com o “momento feliz” para o concelho e agradeceu a abertura com que foi recebido, ao longo de todo o processo, pelo membro do Governo que veio presidir à cerimónia, à administração e aos técnicos do grupo Dourogás e referiu que este é mais um passo em frente na aposta da eficiência energética para Mesão Frio, o terceiro concelho do distrito de Vila Real com maior densidade populacional. Alberto Pereira enfatizou também, a importância que este investimento representa para a qualidade de vida dos mesão-frienses e o acréscimo de competitividade que vem adicionar ao território que governa.

Antes da sessão de encerramento, que culminou com um almoço entre todos os convidados, o Secretário de Estado, João Galamba, usou da palavra para revelar que encarou com “incompreensão” o facto de o pedido de concessão de gás natural a Mesão Frio se arrastar há mais de 12 anos, com todos os entraves que foram sendo colocados.

João Galamba, que no espaço de três meses solucionou o processo, referiu que o investimento, agora realizado, vem corrigir injustiças passadas: “É uma questão de justiça e de coesão territorial, que poderá atrair para o concelho novos investidores. É uma justiça para um presente que tardou a chegar e o presente que a partir de hoje se pode construir, posiciona Mesão Frio para o futuro e para uma transição energética mais limpa, mais verde e mais renovável.”

O projeto da rede de distribuição de gás natural de Mesão Frio apresenta uma extensão de 4,4 quilómetros com 175 ramais, uma unidade Autónoma de 90 metros cúbicos de gás natural liquefeito e um consumo médio anual de 9 GWh, o que equivale a 30 cisternas de gás natural líquido por ano. O gás natural, além de ser mais económico, com tarifa regulada, é menos inflamável e apresenta menor risco de acidentes, nomeadamente de explosões.

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *