Mesão Frio vai ter Orçamento Participativo Jovem

A Câmara Municipal de Mesão Frio vai lançar, em 2018, o Orçamento Participativo Jovem (OPJ), uma iniciativa que pretende fomentar um maior envolvimento cívico dos jovens na vida do município.

A iniciativa é destinada aos jovens entre os 6 e os 17 anos que estejam matriculados em escolas do concelho ou que comprovem ali residir. Os jovens entre os 18 e os 35 anos também são convidados a participar devendo para isso estar recenseados no município de Mesão Frio.

Para Alberto Pereira, Presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio, esta implementação é essencial para uma maior transparência na política, em especial ao nível das autarquias.

“Temos que, de uma vez por todas, passar da teoria à prática. Dizemos que queremos mais transparência na política e mais participação das populações mas, o que é que acontecia até hoje? Continuamos a trabalhar da mesma forma como o fazíamos à 40 anos atrás, o executivo preparava o orçamento incluindo as obras e projetos que desejava sem que, por vezes, essas ideias fossem ao encontro das expectativas e anseios das pessoas e, neste caso em concreto, dos jovens.”

É com esta ideia que surge o Orçamento Participativo Jovem, “decidimos este ano alocar uma verba para esta iniciativa. Ou seja, dentro de um determinado valor pretendemos que os jovens nos digam que tipo de equipamentos ou obras gostavam de ter na sua freguesia”.

Uma das vantagens que Alberto Pereira vê nesta medida é a fixação de população no concelho que, tal como tantos outros do interior, se debate com a quebra de população, em especial entre os mais jovens.

“Estou plenamente convencido que será uma forma de travar o êxodo dos nossos jovens, cada vez mais eles querem ter uma voz ativa e procuram ter na sua área aquilo que vêm em outros locais. Dando-lhes esta oportunidade sentem-se mais incluídos e isso pode ser determinante na hora de decidir se ficam ou saem de Mesão Frio”, afirma o autarca.

Neste primeiro ano estarão disponíveis 10 mil euros, “é uma verba ainda baixa mas é o primeiro ano que lançamos esta iniciativa, de acordo com as respostas que tivermos, no futuro, esse valor será certamente revisto para comportar o maior número de ideias possível”.

Para serem aceites, as propostas deverão visar o desenvolvimento estratégico do concelho devendo depois ser avaliadas segundo critérios de ordem legal, financeira e de exequibilidade. As propostas que saírem deste orçamento como vencedoras deverão ser implementadas em sintonia com os objetivos dos munícipes proponentes.

, ,