Covid-19 obriga ao cancelamento da Feira de S. Francisco

A Câmara Municipal de Moimenta da Beira, por proposta do seu Presidente, aprovou esta segunda-feira, 28 de setembro, em reunião ordinária, o cancelamento da Feira de S. Francisco que se realiza anualmente nos dias 3 e 4 de outubro.

Tudo por causa do “atual contexto epidémico desfavorável a nível nacional e também no Município de Moimenta da Beira” e ainda por “ser imperioso defender a saúde pública no concelho, também como condição essencial para a retoma económica e social, após os fortes impactos provocados pela pandemia”.

A determinação do cancelamento foi ainda sustentada pela “impossibilidade prática de garantir todas as condições de segurança recomendadas pelas autoridades de saúde, no que se refere ao cumprimento das regras de distanciamento social, de limpeza e higienização regular, bem assim como no número máximo de pessoas que podem estar naquele espaço” onde é habitual haver animação musical por grupos de concertinas que juntam sempre “um aglomerado de pessoas”.

A Feira de S. Francisco, que se realiza desde tempos imemoriais, é evocada na obra mais autobiográfica de Aquilino Ribeiro como uma das mais antigas e tradicionais da região. É lá que se come a ‘marrã’, carne fresca de porco, torresmos de sabor inigualável, e era lá também que tinha lugar um célebre mercado de troca e venda de burros e cavalos, hoje já muito em desuso. Outras das tradições era o ‘roubo’ da colher de pau aos feirantes, em especial pelos jovens, um costume que quase já não sobrevive.

O patrono da Feira (S. Francisco) é o santo protetor dos animais e também padroeiro da ecologia.

O certame, sempre muito concorrido, realiza-se nas proximidades do cruzamento de S. Francisco, perto do convento homónimo, na confluência das estradas nacionais 226 e 323, em terrenos da freguesia dos Arcozelos, Moimenta da Beira.

,