Inquérito afasta negligência médica

A queixa por negligência médica, apresentada contra o serviço de urgência básica de Moimenta da Beira, foi arquivada por falta de provas de negligência na assistência a uma paciente que acabou por falecer, vítima de um aneurisma.

O caso remonta a fevereiro deste ano, Maria de Lurdes estava em casa quando se sentiu mal acabando por ser levada à unidade de saúde pelos bombeiros locais, esteve 3 horas nas urgências até ser encaminhada para o Hospital de Viseu acabando por falecer, já no Hospital Universitário de Coimbra, uma semana depois.

Informada das conclusões do inquérito interno, a família rejeita-o apontando vários erros: “existem muitas contradições que não correspondem à verdade”, afirma José Melo, marido da vítima, que rejeita ainda as falhas informáticas apontadas, “ainda por cima vêm-se defender como um erro do sistema informático, que é uma desculpa de mau pagador. Na realidade não responderam às questões que eu coloquei”.

O inquérito remete para algumas falhas no processo, no entanto o mesmo afasta a hipótese de negligência médica.

José Melo já apresentou, entretanto, uma queixa ao Ministério Público contra o serviço de urgência básica de Moimenta da Beira e o médico que assistiu a sua mulher.

,