Presépio em movimento é atração em Penedono

Na freguesia de Antas, em Penedono, há um presépio em movimento que conta com cerca de 300 figuras, numa recriação fiel à época do nascimento de Cristo que atrai centenas de curiosos.

José Rodrigues, reformado e ex-emigrante na Suiça, é o responsável por este projeto que se fixou nesta freguesia em 2014, ano em que se dá o regresso da emigração.

“Quando regressei em definitivo da Suiça, em 2014, quis voltar a fazer o presépio e, como vivo aqui em Antas, acabei por fazer aqui”, conta José à nossa reportagem.

Contudo, a história deste presépio leva-nos numa viagem no tempo até aos anos 70 quando José viu o primeiro presépio em que a água movimentava alguns moinhos e se tornou num fascínio para este homem natural de Lamego.

“Com 10 anos comecei a recriar presépios em casa, depois houve um ano em que na minha freguesia se fez um concurso de presépios ao qual concorri e ganhei, daí para a frente fui ganhando vários concursos, tanto que alguns dos meus colegas já desistiam de fazer porque sabiam que eu acabava por ganhar.

No ano em que me casei fiz um presépio em casa dos meus sogros, em Cambres, e a minha cunhada chamou lá o padre para o ver. Depois de meia hora a olhar para ele sem dizer nada, acabou por dizer que era uma obra maravilhosa e pediu-me para no ano seguinte fazer um na sua igreja. Acabei por construir o presépio na igreja de Cambres durante 18 anos, até emigrar para a Suíça”, conta José.

Em Antas o primeiro presépio foi construído em 1986, ano em que os atuais párocos chegaram à freguesia. No entanto, este projeto acabou por não ter continuidade nos anos seguintes porque José emigrou.

Emigrado na Suíça recebeu um convite para fazer um presépio na Igreja de S. Francisco em Lamego, apesar da distância acabou por aceitar o desafio, contava com a ajuda de alguns colegas que iam montando parte do presépio que depois José terminava quando regressava.

“Quando estava emigrado ainda cheguei a fazer o presépio na Igreja de S. Francisco, em Lamego, tinha uns colegas que o iam montando e eu quando chegava tratava de tudo o que estava em falta. Com a dificuldade de o montar e desmontar todos os anos esse presépio acabou por ficar montado definitivamente nos claustros da igreja”.

Pelos diferentes locais onde já montou presépios, José diz que lhe pediram várias vezes para adicionar elementos dessas localidades, no entanto, fiel à sua ideia recusou sempre esse pedido por lhe retirar a originalidade da época.

“Já me pediram que fizesse elementos iguais a elementos dos locais por onde o presépio já passou mas para mim não faz sentido, o que faz sentido é recriar tudo como era na época do nascimento de Cristo”.

Para José o desafio está na criação de novos elementos, “todos os anos apresento alguma coisa nova e monto o presépio de forma diferente”, até porque quem o visita muitas vezes repete e “é bom que as pessoas notem que algo está diferente”.

Este ano a novidade é um moinho movido a vento que ficará colocado no topo de uma das montanhas do presépio.

José confessa ainda que, depois de terminado e desmontado precisa de algum descanso. “Quando isto tudo acaba preciso de parar a limpar a cabeça, só lá para setembro é que começo a pensar no presépio desse ano, no que posso mudar e acrescentar”, conta-nos.

Depois de décadas a construir presépios em movimento, José tem ainda um sonho por cumprir, um presépio itinerante.

“Um dos meus sonhos é fazer um presépio itinerante mas o amor que tenho a esta terra não me permite sair daqui”, afirma.

Mensagem do Presidente da Câmara Municipal de Penedono, Carlos Esteves de Carvalho

É Natal… Praticamente em todas as localidades as luzes e as decorações natalícias tomam conta de diversos espaços. Com o menino Jesus na manjedoura ao centro, Maria e José em seu redor, o presépio dá-nos conta das características do local e das personagens que integraram aquele momento diferenciador. Nos dias de hoje, na realidade, não deixa de ser uma montagem com peças que faz referência ao momento do nascimento de Jesus Cristo, mas todos nós continuamos, e nem falo nas crianças, a sentir, a interpretar e olhar o presépio de uma forma muito especial: precisamos de sentir que o Natal tem um significado, mais que não seja o valor da Família, nos presépios tão bem evidenciada.

Por cá, em Antas, Concelho de Penedono também existe um presépio (trezentas peças), que resulta da arte e engenho de mãos ágeis, permitindo que a mensagem do Natal, seja também a mostra de motivos do quotidiano rural e de cor e movimento. Assim é há quatro anos, que o José João Rodrigues “oferece” o seu presépio em movimento (cerca de duas dezenas) a toda a comunidade e tem conseguido atrair muitos visitantes a esta linda aldeia de Antas.

Para a Câmara Municipal de Penedono, constitui mais um motivo de visita e atratividade que procura promover, na certeza das mais-valias locais que todos os que, eventualmente, venham até nós, ali podem proporcionar. Estou a falar de uma localidade, onde associado à visita ao presépio, o visitante tem igualmente património muito valioso a visitar, tem onde comer e, porque não, até pernoitar para, no dia seguinte partir à descoberta do Concelho de Penedono.

,