X Encontro Europeu da Castanha discutiu setor

Entre os dias 12 e 14 de setembro, Trancoso e Penedono receberam o X Encontro Europeu da Castanha. A organização do evento esteve a cargo da RefCast – Associação Portuguesa da Castanha, AREFLH – Assembleia das Regiões Hortícolas Europeias, os Municípios de Trancoso e Penedono, bem como a Cooperativa Agrícola de Penela da Beira.

Tal como em edições anteriores, este encontro apresentou um programa bastante preenchido, com forte componente técnica, com ênfase para as questões das podridões e pragas da castanha, na sequência também dos impactos da presença da vespa das galhas do castanheiro nos soutos europeus, abordando ainda outros temas como, por exemplo, os desafios futuros do setor.

“Estes encontros resultam de uma parceria que está a acontecer a nível europeu entre quatro países: Portugal, Espanha, França e Itália que se juntaram e criaram a Eurocastanea à qual a partir deste encontro se junta também a Áustria.

O objetivo destes encontros é promover o contacto entre as pessoas e a partilha de conhecimento, juntar as gentes da castanha. Estas partilhas de experiências, estes momentos de reflexão são base para novas estratégias para o setor.

Para se perceber a importância destes encontros, há neste momento uma ideia transversal a todos os países, que é a falta de castanha na Europa e o desafio que este continente tem de criar condições para que sejam plantados 40 mil novos hectares de soutos para repor as quantidades de castanha que tínhamos há 20, 30 anos atrás e que é aquilo que precisamos. Esta união que aqui mostramos é importante para que os políticos entendam o que estamos a fazer e esse é o trabalho que agora temos de fazer. Compilar os resultados que levamos daqui e apresenta-los aos nossos políticos, sejam eles nacionais ou internacionais. O nosso objetivo é chegar à União Europeia mas não tem sindo fácil porque este é um setor pequeno, que estava relativamente desorganizado. Queremos que o próximo Quadro Comunitários de Apoio seja um quadro de oportunidade para a fileira da castanha a nível europeu. Só pedimos que nos ouçam, ouçam a fileira da castanha”, afirma José Laranjo, Presidente da RefCast.

A mesma ideia foi partilhada por José Ângelo Pinto, Presidente da Coopenela que sublinhou ainda a importância destes eventos para um contacto pessoal entre os produtores dos diferentes países.

“O evento correu muito bem desde logo porque batemos o recorde de participantes, nacionais e internacionais, e mesmo a gestão dos tempos, que é sempre uma questão complicada, conseguimos cumprir dentro do que estava programado.

Ao longo deste dias foram debatidos vários temas ligados ao setor e tivemos oportunidade de ver qual o estado da castanha nos cinco países que agora compõem a Eurocastanea e isso foi muito útil para percebermos o que está a acontecer nesta fileira e perceber, com algumas projeções, que este ano irá haver uma pequena quebra na produção.

Por outro lado, tal como o próprio nome indica o interesse aqui é que as pessoas se encontrem portanto, a parte técnica e a parte das apresentações é importante mas mais do que isso é ao intercâmbio entre os participantes, esta é uma grande mais valia destes encontros, permitir que os atores do setor interajam uns com os outros”.

Entre muitos outros momentos, o programa contemplou um workshop de atualização na investigação Eurochesnut; a análise à produção da castanha na região “Soutos da Lapa”, a apresentação do Livro Branco da Castanha, assim como das principais conclusões da Missão ao Japão “Eurocastanea” 2019. Do programa fizeram ainda parte várias visitas técnicas e a exposição de inovações técnicas de produção de castanha. A visita aos centros históricos de Trancoso e Penedono foram outros dois momentos de convívio entre os participantes.

Trancoso e Penedono unidos em prol da castanha

Amílcar Salvador – Pres. CM Trancoso

Foi com muito gosto que recebemos este 10º Encontro Europeu da Castanha, numa estreita colaboração com o município de Penedono. Ficamos felizes por isso, as reuniões preparatórias correram muito bem e modéstia à parte acho que realizamos aqui o melhor encontro de todos realizados até agora.

Estes são dois concelhos em que a castanha é extremamente importante, e temos feito um trabalho significativo na promoção, na divulgação, no plantio e no apoio aos agricultores, por isso considero que é de inteira justiça que este encontro se realize aqui, sabendo que outros concelhos da nossa DOP dos Soutos da Lapa, também o faria muito bem.

Os nossos produtores ganharam em dois sentidos, não só na aquisição de conhecimento que lhes permite ter outra visão de como se trabalha nos outros países e conhecer as melhores técnicas de combate a pragas e doenças apresentadas pelos melhores técnicos da área, como também a possibilidade da troca de informação e contactos que poderá permitir abrir novas portas ao nosso produto.

Amílcar Salvador (Trancoso, esq.) e Carlos Esteves de Carvalho (Penedono, dir.)

Carlos Esteves de Carvalho – Pres. CM Penedono

Para Penedono, para o Presidente da Câmara de Penedono, este evento tem um significado enorme. Ontem afirmei na abertura oficial que este encontro é a afirmação de territórios do interior que mostram que são capazes de concretizar eventos que efetivamente afirmam esse território.

Depois há ainda a importância de tudo isto se realizar à volta de um fruto que para nós tem o significado que tem e a importância que tem e refiro-me em especial à economia local do concelho de Penedono, mas não quero falar só do meu concelho, quero falar sobre todos os concelhos que integram a DOP Soutos da Lapa. Para nós a castanha pode ser uma grande oportunidade, seja na fixação de pessoas, seja na capacidade económica das nossas famílias.

Vejo neste encontro três fatores importantes. O primeiro deles é a transmissão de conhecimento e saber que é fruto de uma investigação permanente que, na atualidade é muito dinâmica. Este para mim é fundamental porque este encontro é direcionado para os produtores, para aqueles que têm e trabalham os soutos e que aqui vêm aprender com os melhores técnicos. Depois há a questão da oportunidade de comércio que é outro aspeto muito importante deste tipo de iniciativas. Associado a tudo isto temos ainda um outro fator que não podemos esquecer que é a divulgação, a promoção dos nossos territórios. Possivelmente muitas destas pessoas que aqui estão nunca viriam a Penedono ou Trancoso se não fosse este encontro, por isso estamos muito empenhados neste tipo de organizações.

,