“enoturismo.pt” apresentado na Régua

Realizou-se esta manhã, no Auditório Municipal Peso da Régua (AUDIR), a apresentação do projeto “enoturismo.pt”, na presença  o secretário-geral da AMPV – Municípios do Vinho, José Arruda, o presidente da Município do Peso da Régua, José Manuel Gonçalves, o presidente do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP), Gilberto Igrejas, e um representante do Turismo do Porto e Norte de Portugal.

O projeto “Enoturismo Portugal” pretende envolver os diferentes atores do setor do enoturismo e diversas entidades oficiais, como as próprias autarquias, das 14 regiões vitivinícolas nacionais.

“Este é um projeto de organização da oferta enoturística. Aquilo que nós nos apercebemos ao fim das diversas que temos vindo a fazer por todo o país, e que vamos continuar a fazer até outubro, é que a oferta existente não está organizada, não está em rede.

O que acontece é que, se um turista nos quer visitar tem que andar à procura por si das adegas, dos restaurantes, dos turismos rurais, etc. Essa oferta não está disponível de uma forma estruturada. Temos que organizar a oferta para depois podermos fazer a promoção internacional do enoturismo em Portugal, esse é o grande objetivo”, afirma José Arruda em declarações em exclusivo ao nosso jornal.

O também dirigente da Rota dos Vinhos de Portugal comparou mesmo este projeto ao que se faz do outro lado da fronteira, em Espanha.

“Olhamos aqui para o lado para Espanha e podemos ver o que está a ser feito com a Rota dos Vinhos de Espanha, se queremos ir visitar uma determinada região temos um local onde podemos encontrar toda a oferta disponível, o que nos permite organizar a viagem, fazer marcações e uma série de outras coisas”.

José Arruda explicou ainda que quem quiser aderir a “este projeto ‘enoturismo.pt’, tem que cumprir uma série de regras, nomeadamente um Manual de Boas Práticas e a Carta Europeia do Enoturismo, e entre elas tem que estar o horário, não pode continuar a acontecer que as pessoas cheguem a um local e ele simplesmente se encontre fechado”.

O plano da AMPV é ter este trabalho concluído até ao próximo ano, a tempo da 5ª Convenção Mundial do Enoturismo, “que se realizará em Portugal,  e onde já queremos apresentar o produto final”, afirma o responsável.

Com essa data em mente a AMPV e a ARPV estão, desde janeiro, e até dezembro de 2019, a promover ações de Benchmarking e Endomarking.

Estas ações traduzem-se numa estratégia de marketing institucional, voltada para ações internas nas Rotas de Vinho de Portugal, com a realização em dois dias de visitas e de reuniões, com o objetivo de trabalhar as Rotas de Vinho de uma forma integrada e em rede.

A primeira ação nacional de Benchmarking Enoturístico decorreu dias 30 e 31 de janeiro, na região da Península de Setúbal, estando prevista para outubro de 2019 a mesma ação na Região do Douro.

José Arruda destacou ainda o envolvimento dos municípios neste projeto, fator que considera essencial para o seu sucesso.

“Tudo isto conta com um envolvimento muito forte dos municípios, aos quais recorremos para que cada um organize toda a oferta que tem disponível no seu espaço, obviamente que sempre numa vertente virada para o turismo”.

,