Conferência sobre os direitos das pessoas com deficiência no Peso da Régua

Na foto: Mário Montes, Nuno Gonçalves, Elina Fraga, Ambrosina Andrade e Luís Cardoso Rocha

Na foto: Mário Montes, Nuno Gonçalves, Elina Fraga, Ambrosina Andrade e Luís Cardoso Rocha

Realizou-se no dia 11 de dezembro a conferência “Os direitos das pessoas com deficiência no mundo contemporâneo”, na Biblioteca Municipal do Peso da Régua.

A iniciativa cujo principal objetivo foi a divulgação dos direitos das pessoas portadoras de deficiência, teve como orador principal o advogado Luís Cardoso Rocha e a presença da Bastonária da Ordem dos Advogados, Elina Fraga.

Luís Cardoso Rocha, advogado na cidade do Porto, consultor de associações ligadas à saúde e deficiência, fundador e atual presidente da Associação Jurídica do Porto, salientou a importância deste tipo de iniciativas, afirmando que “é um tema próprio da forma como vemos a vida e como estamos nela”. O advogado afirmou que, na sua opinião, “os diplomas legais que saíram nos últimos quatro anos em decreto-lei, não melhoraram a vida das pessoas portadoras de deficiência”. Luís Cardoso Rocha sinalizou ainda alguns pontos fundamentais na legislação portuguesa, fundamentais para estas pessoas.

“A deficiência é um tema que deve ser discutido e divulgado. Hoje, felizmente, os cuidados com as pessoas portadoras de deficiência é grande”, referiu Nuno Gonçalves, presidente da Câmara Municipal do Peso da Régua, acrescentando que “devemos manter sempre estas discussões públicas acesas, juntamente com o envolvimento da comunidade”.

A presidente da Delegação da Ordem dos Advogados do município, Ambrosina Soveral Andrade, uma das organizadoras da iniciativa, salientou que com a realização deste tipo de conferências, “visam-se promover os direitos para quem é portador de algum tipo de deficiência”, afirmou, frisando que “a nossa delegação está sempre à frente no que diz respeito à defesa dos direitos de todos”.

Para Elina Fraga, Bastonária da Ordem dos Advogados, “os advogados têm uma responsabilidade especial na defesa dos direitos humanos, especialmente nas pessoas portadoras de deficiência”, declarou a Bastonária, acrescentando que “estas pessoas ainda são alvo de confusas desigualdades e discriminações na nossa sociedade, é necessário combater esta tendência”.

, ,