GNR realiza Operação “Censos Sénior 2019” em outubro

A Guarda Nacional Republicana tem vindo a realizar, durante todo o mês de outubro, a operação “Censos Sénior 2019”, com o objetivo de identificar a população idosa que vive sozinha e/ou isolada e, assim, atualizar os registos das edições anteriores e identificar novas situações.

Ao longo de todo o mês, os militares da GNR irão realizar várias ações de sensibilização por todo o país junto das pessoas idosas em situação vulnerável, através de contactos pessoais e de atividades em sala. A GNR pretende que este público adote comportamentos de segurança que lhes possibilitem reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes, bem como prevenir comportamento de risco associados ao consumo de álcool.

O VivaDouro acompanhou uma dessas ações na freguesia de Poiares, concelho de Peso da Régua, local onde, segundo as autoridades serão cerca de 100 os idosos que constam da lista.

Uma dessas idosas é a Dona Maria que recebe os militares à porta da sua residência com um sorriso, convidando-os para entrar enquanto decorre a breve conversa.

Para esta idosa que vive sozinha a visita dos militares “é muito importante”, são momentos em que tem “alguma companhia para conversar um pouco”.

Esta visita é também importante pelo sentimento de segurança que transmite, “sabemos que os guardas andam sempre por aqui e isso faz com que a gente se sinta mais segura”.

Umas ruas mais acima é a vez de visitar a Dona Palmira que divide a sua vida entre a aldeia e as ruas de Lisboa onde tem as filhas a residir.

“Quando estou em Lisboa sinto-me mais insegura, aqui as coisas são diferentes, toda a gente se conhece e basta ver alguém de fora ou ouvir uma voz diferente que ficamos logo mais atentos”.

Utilizadoras do centro de dia da freguesia, as idosas passam parte do seu dia neste local, onde almoçam, regressando durante a tarde às suas residências, muitas vezes sozinhas.

Para a capitão Joana Conceição, Comandante do Posto Territorial de Peso da Régua, estas ações são de grande importância porque, para além de haver uma monotorização dos idosos, serve ainda para criar alguns laços entre os militares e a população, incrementando assim um sentimento de segurança que o isolamento não dá.

“Este tipo de ações de sensibilização com pessoas idosas e isoladas permitem que os ensinemos a ter comportamentos de segurança para reduzir o risco de serem vitimas de crimes, por exemplo as burlas que há pouco estavam a falar, as burlas e os furtos em outras residências é precisamente por isso que nós temos estas intervenções com a população.

Sim principalmente neste tipo de ambiente, estes idosos olham para a GNR como uma força que os ajuda com qualquer problema. Eles falam ou ligam e os militares vêm cá. Eles sentem-se próximos e seguros quase como se fosse uma segunda família, eles tem a família longe, estão cá isolados e quando eles olham para a guarda olham como uma segunda família e isso sim é extremamente importante, eles dão muita importância a isso”, afirma a capitão.

As visitas não têm um tempo estipulado e as próprias chefias fomentam nos militares a ideia de que não há objetivos a cumprir quanto ao número de idosos visitados em cada saída.

Capitão Joana Conceição

“Nós, como comandantes, temos o cuidado de não ser taxativo que todos os dias se fale com 5 ou 10  idosos. Os militares da Guarda sabem quem são as pessoas isoladas, vêm cá e numa tarde podem fazer um, dois senhores as vezes no máximo três, especialmente as pessoas que estão sozinhas e começam a falar da vida deles, da historia e nós militares estamos ali a ouvir e se fizermos numa tarde um é como se fizemos dez, se eles quiserem falar nós ouvimos e se for preciso estamos ali a tarde toda, não se força nada”.

Ao longo desta operação, os militares irão ainda divulgar os programas “Apoio 65 – Idosos em Segurança” e “Residência Segura”, que pretendem recolher a informação necessária para a elaboração de uma mapa, onde estarão georreferenciadas todas as residências aderentes ao projeto. Este mapa tornará mais eficazes as ações de patrulhamento e a vigilância da GNR.

A Operação “Censos Sénior” é já realizada desde 2011, sendo que a GNR tem vindo a atualizar a sua base de dados geográfica, por forma a disponibilizar uma maior e melhor apoio à população.

, ,