Município reivindica estatuto de “vila mais antiga de Portugal”

Os forais são peças documentais de grande importância para o conhecimento daquilo que era a vivência da época em determi­nado local, neles é possível per­ceber como se estruturava a po­pulação e o estilo de vida que ali existia, bem como que produtos ali se produziam, entre muitos outros aspetos.

Outorgado por D. Fernando, o Magno, en­tre os anos 1055 e 1065 (não há uma certeza absoluta quanto à sua data), o Foral de São João da Pesqueira é assim o mais antigo de Portugal, reportando a uma época em que, por divisões internas o emirado árabe de Córdova começa a enfraquecer sendo o ter­ritório conquistado pelos cristãos vindo da província de Leão, depois de terem atraves­sado o Douro em Zamora.

O documento original há muito que foi perdido mas a certeza destas informações é dada pelas inúmeras confirmações poste­riores, como é o caso de uma feita por D. Afonso III, no ano de 1256.

Facto inegável e comprovado por diferen­tes estudos e historiadores, nunca antes foi uma bandeira para o município sendo mes­mo desconhecido por muitos até à publica­ção de um texto num blog minhoto.

“Este assunto acaba por ser despoletado num blog de um autor do Minho que afir­ma exatamente que Ponte de Lima afirma ser a vila mais antiga de Portugal errada­mente, esse epíteto pertence a São João da Pesqueira”, afirma Manuel Natário Cordei­ro, autarca pesqueirense, à nossa reporta­gem, acrescentando ainda que “este é um aspeto que ainda não está muito na cabe­ça dos pesqueirenses, talvez por nunca ter sido valorizado, damos mais importância ao facto de sermos o maior concelho pro­dutor de vinho ou o estarmos no coração do Douro Vinhateiro. Contudo considero que devemos começar a valorizar este aspe­to, não por qualquer tipo de pretensiosismo mas porque é um facto histórico. Não sei porque é que nunca foi reivindicado este es­tatuto de vila mais antiga de Portugal, é um facto e sobre isso não há qualquer dúvida”.

Para o autarca, a reivindicação de São João da Pesqueira como vila mais antiga de Por­tugal pode ser uma fator diferenciador na promoção do concelho, estando por isso em desenvolvimento um estudo aprofun­dado com a colaboração de alguns pro­fessores universitários sustentando assim, cientificamente, este dado.

“Com a dificuldade que por vezes temos em promover o nosso território, este pode ser um fator de extrema importância. Esta­mos já a trabalhar com alguns professores da Faculdade de Letras da Universidade do Porto que nos irão ajudar a sustentar cienti­ficamente toda esta pesquisa para que ainda este ano comecemos a divulgar este facto, ajudando assim na promoção do nosso con­celho. Não sei como será feita esta comuni­cação, este será um assunto que irei traba­lhar em conjunto com o nosso gabinete de comunicação para elaborar uma estratégia.

A atribuição de um foral, por aquilo que eu entendo, tem a ver com a conquista de território e uma forma de o ir delimitando portanto, tudo o que seja um fator diferen­ciador num território, uma marca distinti­va, é sempre importante, quer para a au­tarquia quer para toda a nossa população.

O foral de São João da Pesqueira é o mais antigo do nosso país, anterior mesmo à por­tugalidade, a sua data situa-se entre os anos de 1055 e 1065, atribuído por D. Fernando, o Magno, tendo depois sido confirmado já em 1112. É um facto comprovado”.

,