“Nova” Esprodouro apresentada na Pesqueira

No passado dia 16 foi apresentada, em São João da Pesqueira, a “nova” Esprodouro, “uma escola para quem não gosta de escola”, um plano traçado nos primeiros 75 dias que a atual direção leva à frente da instituição.

Com o auditório João Costa praticamente cheio, coube ao novo diretor da escola, Fernando Rodrigues, iniciar a sessão com uma apresentação onde mostrou a situação da escola quando assumiu o seu momento e o presente.

“Vivíamos uma situação muito difícil com três meses de salário em atraso, subsídios de féria e Natal por pagar, dívidas e fornecedores e alunos, algo que mereceu desde logo a atenção desta direção”, afirmou Fernando Rodrigues.

A situação em que a Esprodouro se encontrava foi também mencionada por Manuel Cordeiro, presidente da autarquia que afirmou que “logo na primeira semana de trabalho na Câmara Municipal deparamo-nos com uma situação gravíssima na escola que apresentava avultadas dívidas”.

José Rodrigues, presidente da As Douro, instituição à qual pertence a escola referiu-se a uma situação “muito grave” que deixava todos os envolvidos “de pés e mãos atadas”, em contraste à situação atual em que “se pode olhar para o futuro com tranquilidade”.

Atualmente foram já pagos todos os salários em atraso, num valor que ascendeu aos 175 mil euros, bem como os respetivos subsídios e ainda mais de 90 mil euros de dívidas a fornecedores. Em falta estão ainda alguns pagamentos aos alunos da instituição que deverão ficar concluídos ainda até ao final deste mês de Março.

Salários e subsídios em atraso pagos, dívidas a fornecedores e alunos saldadas, é tempo de uma nova realidade na Esprodouro e isso fica desde logo evidente na nova imagem institucional, bem como nas muitas alterações que serão feitas ao longo deste ano letivo, de forma faseada para que todos os envolvidos tenham o tempo necessário para as interiorizar e pôr em prática.

Segundo Fernando Rodrigues, neste momento existem já vários projetos aprovados “no valor superior a 1 milhão de euros” que serão aplicados no lançamento de novos cursos, aumentando assim a oferta formativa que trará, na expectativa do gestor, mais formandos para a Esprodouro.

Para o diretor, a “nova” escola será mais próxima de todos que a constituem tornando “o aluno no centro de todo o trabalho desenvolvido, ajustando a formação a cada caso”, desta forma a escola cumprirá o seu desígnio, “preparar os melhores profissionais nas suas áreas”.

Presente nesta apresentação esteve também um representante da Escola Profissional de Aveiro, Paulo Quina, que assinará um protocolo com a instituição pesqueirense para a partilha de ideias e modelos de funcionamento. A escola de Aveiro irá ainda fornecer, de forma completamente gratuita, um software de gestão à Esprodouro baseado no novo modelo agora apresentado.

Aliás, e como foi demonstrado na apresentação, o modelo de Aveiro será seguido em São João da Pesqueira, alterações que vão desde a proibição total de telemóveis nas salas de aula até à inexistência de mesas para os professores nas salas ou ainda a colocação dos alunos em pequenos grupos fomentando o trabalho em equipa, entre muitas outras alterações.

Outras duas novidades que saíram desta apresentação são a criação de um Centro de Ciências de Estudos Eno-Gastronómicos e o lançamento de um programa de Erasmus para os alunos, permitindo assim que possam estudar ou fazer estágios no estrangeiro.

Durante o evento foi ainda apresentada a nova imagem da escola, mais limpa e inspirada na nova vida da instituição: Reinventada, Rigorosa e Modernizada.

,