Pesqueira reforça serviços de saúde e justiça

À imagem do que prometeu no decorrer da campanha eleitoral, o autarca pesqueirense, Manuel Cordeiro, tem reunido com os ministérios da Saúde e da Justiça com vista ao alargamento dos serviços prestados nestas áreas no seu concelho.

A sucessiva perda de serviços nos concelhos do interior é uma preocupação para os autarcas desta região, muito porque consideram que a sua não existência é um fator que potencia o êxodo para os grandes centros e dificulta a atração e fixação de população, em especial entre as gerações mais novas.

Durante a campanha eleitoral Manuel Cordeiro foi sublinhando essa preocupação e desde a sua eleição têm sido várias as reuniões com diversos ministérios com o objetivo de abrir ou reabrir alguns desses serviços em São João da Pesqueira.

No que diz respeito à saúde, a intenção do autarca era de ter “um Serviço de Urgência Básica, mas isso é praticamente impossível”, confessa. “Solicitamos também uma ambulância SIV porque a mais próxima que temos está em Moimenta da Beira e assim seria possível ter este serviço mais disperso pelo território, contudo, o argumento utilizado é que o serviço de urgência básica é lá que está, daí a presença dessa ambulância”.

Outro dos temas debatidos com o ministério foi o alargamento do horário do serviço de urgência do Centro de Saúde, em especial em algumas épocas do ano, situação para a qual registou “alguma abertura” por parte da Secretária de Estado, Rosa Valente de Matos.

Garantida ficou a implementação da Unidade de Cuidados Continuados que “ficará no edifício do Centro de Saúde”. O projeto “recebeu já luz verde estando em falta toda a burocracia junto de entidades como a ARS ou a Segurança Social, por exemplo”.

Também na justiça Manuel Cordeiro conseguiu aquilo que considera ser “uma primeira vitória”. “Todos os julgamentos de processos até 50 mil euros e crimes com moldura penal até 5 anos, serão obrigatoriamente feitos na Pesqueira”.

Contudo, estes julgamentos serão feitos por um juiz de Moimenta da Beira que se deslocará a São João da Pesqueira quando necessário.

“Continuarei a exigir mais, inclusivamente ter um juiz partilhado com Tabuaço. Moimenta tem dois juízes e, em vez de terem de vir cá quando necessário passaríamos a ter um juiz atribuído a este concelho. De todos os processos que existem em Moimenta, 33% são oriundos daqui e 19% de Tabuaço, o que dá um total de 52%, assim passaríamos a ter um juiz partilhado mas tal não irá avançar por agora, é um processo que requer muita burocracia”.

, , ,