Autarca penaguiense em périplo natalício pelo concelho

Em Santa Marta de Penaguião a tradição continua a cumprir-se, por estes dias o presidente da Câmara percorre as ruas dos 41 lugares do concelho, distribuindo as boas festas e uma pequena lembrança.

O passo é acelerado, são muitas as portas que há para bater, ainda o dia vai a meio quando a nossa reportagem encontra a comitiva liderada por Luís Machado, autarca penaguiense.

“Veio de sapatilhas? É que aqui é sempre a andar” questiona o autarca enquanto rapidamente define a rota a seguir com a equipa, de acordo com as pessoas que sabe que vai encontrar em casa.

“Temos uma política de proximidade, conhecemos quase todos os nossos munícipes pelo nome, conhecemos bem a realidade. Sabemos a situação de cada casa, se está ou não habitada, quem está ausente durante o dia no seu trabalho, quem está emigrado, quem infelizmente faleceu, de facto esta é uma das nossas grandes vantagens para depois podermos atuar com vista ao bem-estar de todos os penaguienses” afirma o edil.

Para o autarca esta é mais uma oportunidade de estar próximo da sua população e a quadra natalícia é um motivo extra para distribuir atenção a uma população envelhecida. Contudo, a comitiva aproveita ainda a oportunidade para verificar as condições em que os munícipes vivem, mantendo uma política de vigilância para sinalização de possíveis situações problemáticas.

“O objetivo é conviver com as pessoas, ter o privilégio de ser recebido em suas casas. É também oportunidade de dar alguma atenção em especial aos mais velhos que têm a família fora, é uma forma de lhes dar carinho nesta quadra natalícia. É também uma oportunidade de ver as condições em que vivem para estarmos atentos a possíveis situações complicadas. Felizmente isso acontece cada vez menos porque vamos acompanhando a nossa população ao longo do ano”, conclui o autarca.

Outra regra nesta quadra é que nenhum penaguiense fique sozinho na noite da consoada. Por essa razão, um acordo entre a autarquia e as IPSS’s permite que estas instituições recolham aqueles que ficariam sozinhos para terem um Natal mais reconfortante.

“É importante que ninguém fique sozinho nesta noite, é uma noite de alegria e isso só se consegue partilhando. No ano passado uma idosa do concelho passou a noite junto com a minha família, temos todos que nos envolver”, conta o autarca.

,