Uma visão para o futuro da saúde no Douro Sul

A descentralização foi o tema central da primeira conferência integrada no Ciclo de Conferências Fórum Saúde XXI-Douro Sul.

O evento realizou-se no dia 16 de Novembro no Salão Nobre da Câmara de Tabuaço e reuniu perto de uma centena de pessoas, que durante uma manhã puderam assistir a vários debates sobre o papel da descentralização no domínio da saúde.

Após a sessão de boas vindas a cargo do Presidente da Câmara de Tabuaço, Carlos Carvalho, foi a vez de Mário Pinto, assessor da Presidência da República para a área da saúde, dirigir algumas palavras à assistência.

No centro do debate esteve a transferência de competências no domínio da saúde e o respetivo impacto na saúde dos cidadãos.

Quais deverão ser as políticas de saúde? Qual o papel do cidadão? Quais os incentivos para a adoção de hábitos de vida mais saudável? Estas foram algumas das perguntas a que o deputado Ricardo Baptista Leite procurou responder na sua intervenção.

A Administração Regional de Saúde do Norte esteve representada por Ponciano Oliveira, que apresentou as bases legais e administrativas da transferência de competências para os municípios e respondeu a algumas questões colocadas por Albertina Cardoso, Diretora Executiva dos Agrupamentos dos Centros de Saúde do Douro Sul.

A segunda parte do debate centrou-se no papel da descentralização enquanto fator de promoção da equidade no acesso à inovação em saúde.

Moderado pelo Prof. Paulo Santos, da Faculdade de Medicina do Porto, contou com a participação de  Óscar Gaspar, Presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada, Anabela Morais do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, António Tavares, Provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto e Domingos Nascimento que apresentou o projeto Aldeias Humanitar.

Encerrou a sessão, o senhor Secretário de Estado da Saúde, António Sales.

Após a Conferência realizou-se um almoço convívio que decorreu no lar de Sendim.

,