Autarquia disponibiliza ajuda ao Ministério da Saúde para campanha de vacinação Covid-19

A autarquia de Vila Real co­municou ao Ministério da Saúde a disponibilidade de salas para vacinação, camaras frigoríficas com temperatura inferior a -80ºC nas instala­ções do Regia Douro Park e a Unidade Móvel de Saúde.

Consciente da dificuldade em executar uma campanha urgente de vacinação contra a Co­vid-19, o Município de Vila Real tomou a iniciativa de contactar as autoridades de saúde, no sentido de disponibilizar espaços e equipamentos para auxiliar nessa missão, que consistem em 3 salas, com cerca de 200 m2, totalmente disponíveis e adequadas para a instalação de um centro de vacinação.

“Eu julgo que é melhor prevenir do que reme­diar e desde já estamos a disponibilizar ao Mi­nistério da Saúde, ao Estado português, todas as condições para que no distrito de Vila Real, na região de Trás-os-Montes e Alto Douro, a partir do Regia Douro Park, possamos desenvol­ver um processo que leve a que as nossas popu­lações, o público-alvo prioritário, possa ser, logo no início do processo, vacinado.

Tivemos o cuidado de fazer estas visitas com profissionais de saúde que conhecem muito bem as necessidades de todo este processo. É preferível ter estes espaços preparados do que serem-nos solicitados e não termos nada. Quisemos desde já sinalizar a nossa disposição para ajudar em tudo o que seja necessário nes­te processo.

É verdade que há coisas que não controlamos, não sabemos quando é que a vacina será ho­mologada, não sabemos que quantidades che­garão à região, etc, mas isso também o Estado não sabe e isso não impediu que preparasse o seu programa de contingência e de vacinação. Nós somos parte da solução, queremos ajudar, mostramos disponibilidade para o efeito e não haverá nenhum motivo para que a nossa po­pulação não tenha condições para poder ser vacinada dentro daquilo que são os critérios da “Task Force” que assumiu como prioridade para a população idosa e com outras patologias”, afir­mou o autarca Rui Santos na apresentação das instalações á comunicação social.

As salas, originalmente laboratórios no Regia Douro Park, possuem características que as oti­mizam para este fim, para além de estarem bem servidas de acessos, estacionamento e acesso para cidadãos com mobilidade reduzida. Peran­te a necessidade de, potencialmente, ser vacina­da toda a população, o Município considerou re­levante oferecer espaços alternativos, de forma a que as unidades de saúde consigam manter a sua capacidade de resposta a todas as questões não relacionadas com Covid-19.

Também no Regia Douro Park, o Município dis­ponibilizou arcas congeladoras com capacidade de gerarem temperaturas inferiores a 80 graus negativos. Estas poderão ser usadas para arma­zenamento de stocks de vacinas, quer para o concelho de Vila Real, quer para a região. Nes­ta altura a capacidade de armazenamento é de 600 litros, que poderá ser elevada até aos 1.200 litros, em caso de necessidade.

“Oferecemos instalações, oferecemos também a possibilidade de terem vacinas em ambiente com menos de 80º, temos aqui equipamento para o efeito, oferecemos também a possibilida­de de usarem a nossa Unidade Móvel de Saúde para se deslocarem aos locais onde estão os ido­sos, onde estão as pessoa que no fundo são o público alvo deste processo numa primeira fase.

É uma forma também de aliviar a presença de pessoas nos Centros de Saúde, nas unidades de saúde, permitindo que essas unidade possam corresponder a outras necessidades do SNS.

É um espaço que obedece às condições que o ministérios da saúde e os profissionais de saúde nos indicaram. Como disse, espaços arejados, com zona de frio e uma unidade móvel que se pode deslocar aos lares, aos serviços de apoio domiciliário e ao nosso mundo rural, porque tudo isso implica uma grande logística.

A acessibilidade é importante e é muito relevan­te terem aqui condições de segurança para que a vacina possa estar estabilizada, à temperatura adequada. Também é muito relevante ter em consideração que há pessoas que não se podem deslocar e aí temos a nossa unidade móvel”, afir­ma Rui Santos.

Presente também nesta apresentação esteve Marisa Borges, Vogal do Conselho Clínico do ACES Marão e Douro Norte que se congratulou com a disponibilidade da autarquia sublinhando a importância de uma cooperação conjunta en­tre todas as entidades.

“Esta abordagem parece-nos essencial porque vai permitir às unidades melhorarem a resposta não Covid e vai permitir, por outro lado, otimi­zar o processo de vacinação com todas as co­modidades que este espaço nos oferece, tanto a nível de acesso para os utentes como para os próprios profissionais terem todas as condições necessárias”.

O Presidente do Regia Douro Park, Nuno Au­gusto, sublinhou a colaboração que o espaço tem tido com a autarquia desde o primeiro mo­mento no combate à pandemia, exemplificando com a centro de testagem que ali foi montado desde a primeira hora.

“Já numa primeira fase cedemos algum equipa­mento laboratorial para a criação do laboratório de testagem Covid-19 da UTAD. Agora, atenden­do às especificidades da vacina, como nós te­mos algum equipamento de congelação que faz temperaturas muito baixas, adequadas às ne­cessidades, disponibilizamos esse equipamento bem como as instalações para que se pudesse rapidamente ultrapassar qualquer dificuldade e criar um centro de vacinação.

Nós estamos sempre atentos às mudanças e às necessidades da comunidade. Também aqui disponibilizamos desde o início um espaço para a despistagem da Covid. Estamos sempre dispo­níveis para ser parte da solução e ajudar a cidade nos novos desafios que nos são apresentados”.

,