Liberdade de ensino e serviço público de educação debatidos na UTAD

António Fontainhas Fernandes e David Justino

António Fontainhas Fernandes e David Justino

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro recebeu o sexto seminário organizado pelo Conselho Nacional de Educação, dedicado à temática da liberdade de ensino e serviço público de educação.

No ano em que a Lei de Bases do Sistema Educativo completa 30 anos, e tendo em conta as alterações ocorridas na sociedade neste período, o objetivo do seminário prendeu-se com a “preocupação de conseguir criar condições para preparar o futuro e podermos refletir e partilhar as ideias que temos sobre a educação”, explicou ao VivaDouro David Justino, Presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE).

“Para isso é necessário ter tempo, não ter pressa, para que as ideias possam amadurecer e ter espirito aberto para podermos aceitar ideias diferentes, à vontade, sem limite, podermos discutir, sem constrangimentos, em liberdade, aquilo que queremos da educação dos próximos anos”, acrescentou.

O Seminário propôs-se assim analisar e debater algumas questões ligadas à liberdade de ensinar e aprender, ensino público, ensino privado, direito das famílias na orientação da educação dos filhos, modelos de educação no estrangeiro, entre outros temas.

Nesse sentido, contou com um painel de oradores de várias instituições de ensino, nomeadamente, Manuel Braga da Cruz da Universidade Católica, Luis Bernardo da Universidade Nova de Lisboa, Pedro Barbas Homem, da Universidade de Lisboa, Carlos Estêvão da Universidade do Minho, Alda de Sousa do Instituto Abel Salazar, Francisco Vieira de Sousa do Externato Marista de Lisboa, assim como o Reitor da UTAD e o Presidente do Conselho Nacional de Educação, entre outros convidados.

Uma vez que este é já o sexto seminário organizado pelo CNE, David Justino, revela que no mês dezembro será feita uma síntese de tudo aquilo que foi feito, “mas julgo que há já ideias boas sobre aquilo que é necessário mudar depois a decisão política é que fará o que entender”, afirmou ao fazer um balanço dos seminários realizados até ao momento.

Mário Nogueira, líder da Fenprof, também marcou presença na iniciativa, sendo que na opinião do dirigente, “o debate e o aprofundamento do debate são sempre importantes e úteis”, declarou ao VivaDouro.