Rui Santos insiste em ver relatório de incidente no Túnel do Marão

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, continua a solicitar o acesso ao  relatório ao incêndio num autocarro dentro do Túnel do Marão que, segundo declarações do secretário de Estado da Proteção Civil, Artur Tavares Neves, está já concluído desde o início do mês de janeiro.

Vinte dias após Artur Neves ter revelado que já tinha nas suas mãos as conclusões do inquérito ordenado ao incêndio no autocarro ocorrido em junho, dentro do Túnel do Marão, o autarca vila-realense afirma que é “extraordinário” que as mesmas não lhe tenham sido facultadas, nem tornadas públicas como é sua vontade.

“Temos insistido, pedimos publicamente o relatório, pedimos de forma privada, vamos tendo notícias de que já há quem o tenha, nomeadamente órgãos de comunicação social. Eu não quero acreditar que isso seja verdade”, afirmou o autarca.

Uma das grandes críticas de Rui Santos é a transferência da monitorização do túnel para as instalações centrais da Infraestruturas de Portugal (IP), na área de Lisboa, onde, através de câmaras, se acompanha o tráfego a nível nacional.

Rui Santos afirmou ainda que esta é uma “infraestrutura complexa” e que exige mais atenção. O Túnel do Marão, que liga Amarante, no distrito do Porto, a Vila Real, abriu em maio de 2016 e tem duas galerias gémeas, cada uma com duas faixas de rodagem e com um comprimento de 5.665 metros.

O inquérito do qual Rui Santos pede o relatório foi mandado instaurar após um incêndio de um autocarro no Túnel do Marão em Junho de 2017, quando fazia a ligação entre Amarante e Vila Real com 20 passageiros a bordo. Dois meses após este incidente, também um carro ligeiro ardeu dentro do túnel. Apesar do aparato em ambas as situações não houve qualquer ferido, contudo a infraestrutura acabou por ser encerrada ao trânsito, por diferentes períodos de tempo.

Rui Santos considerou que “não é razoável” que um “relatório ligado à segurança e à proteção civil demore mais de seis meses a ser elaborado”.

“Sobretudo porque estamos certos de que as conclusões desse relatório tornarão a passagem pelo Túnel do Marão, bem como a passagem pela A4, mais segura, mais cuidada e permitirão corrigir os erros evidentes que ainda hoje acontecem no Túnel do Marão”, frisou.

,