Vozes dos municípios: Tabuaço

Por Carlos Carvalho, Presidente da Câmara Municipal de Tabuaço 

São 22 aldeias únicas que compõem o território de Tabuaço, concelho situado entre o Douro e a Beira Alta com uma população de cerca de 6000 habitantes.

A nossa localização privilegiada permite, a quem nos visita, tomar contacto com uma Natureza assombrosa onde coabitam paisagens Durienses deslumbrantes com a beleza crua dos montes e serras beirãs. Somos delimitados a oeste pelo rio Tedo, a Este pelo rio Torto e a Norte pelo Majestoso Douro. Esta localização única, atravessada ainda pelo Rio Távora em praticamente toda a nossa dimensão, permite-nos usufruir de condições únicas para a exploração da actividade agrícola, tendo como expoentes máximos a cereja, a castanha, a baga de sabugueiro, o azeite e principalmente o vinho onde, para além da produção secular de Vinho do Porto, essas condições únicas confluem numa realidade que nos transforma num dos territórios mais conceituados no panorama vitivinícola mundial.

Mas não só de agricultura vive o nosso concelho! A nossa gastronomia, de saberes e sabores tradicionais, cujas especialidades, sempre acompanhadas de vinho e azeites de excelente qualidade, são o cabrito recheado com arroz de forno, o javali, o arroz de cabidela, o presunto, restante fumeiro e peixinhos do rio em molho de escabeche.

A indústria da panificação e da transformação de fruta continua a ser uma presença importante no nosso território estando agora a desenvolver-se projectos pioneiros, nestes e em outros sectores, como a transformação de fruta cristalizada sem açúcar, muito recentemente a instalação da primeira empresa produtora de Gin, uma bebida em clara expansão, na Região Demarcada do Douro e o projecto que estamos a levar a cabo com a UTAD no sentido de estudar qual a melhor solução para o planalto de Chavães.

O sector turístico tem aqui uma importância crescente e um cada vez maior peso no nosso investimento e consequentemente na nossa sustentabilidade económica. A mescla entre o Douro e a Beira resulta num destino único onde coabitam a arquitectura dos vinhedos e quintas da margem do Douro com o património cultural, histórico e religioso que é transversal a todas as nossas aldeias.

Continuamos a apostar, porque entendemos que a actividade turística não depende apenas daquilo que a Natureza nos oferece, numa maior oferta cultural no sentido de proporcionar a quem nos visita mais escolha, mais abrangência nas opções do que pretende fazer, no fundo um complemento a todo o tal potencial que já enumeramos.

O ponto alto do que acontece ao longo do ano são as Festas de São João, para as quais aproveitamos, desde já, para os convidar a visitar, que irão decorrer de 13 a 29 de Junho e de cuja programação salientamos a Prova de Perícia (Dia 13 e 14), a orquestra Ligeira da banda de Sendim (dia 20), o programa da SIC – Portugal em Festa (dia 21), a fantástica Marcha Luminosa (dia 23) e o Quim Barreiros (dia 24).

E por fim e aquele que julgamos ser o motivo maior para que os leitores deste texto tenham vontade de nos visitar. As nossas gentes! A nossa forma de estar, de receber, de conseguir fazer com que quem nos visita se sinta de imediato integrado, perfeitamente à vontade, na sua própria casa como gostamos de dizer. E todos nós sabemos, numa realidade turística em que se procura cada vez mais as sensações e experiências, a importância de que esta forma de estar, viver e acolher se reveste.

Tabuaço mais do que uma visita é uma experiência.

 

, , ,