Autárquicas 2017: qual o futuro dos autarcas da CIM Douro?

Foto: Direitos Reservados

A alguns meses das eleições Autárquicas de 2017 o VivaDouro continua nesta edição uma série de conversas com os vários autarcas pertencentes aos 19 municípios da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Douro com vista a perceber a disponibilidade de cada um deles para eventuais candidaturas aos cargos que ocupam. Fique agora a conhecer os planos para o futuro dos autarcas de Mesão Frio e Vila Nova de Foz Côa.

Alberto Pereira, autarca de Mesão Frio eleito pelo PS/ Foto: Salomé Ferreira

Alberto Pereira: “Conseguimos pela primeira vez em 20 anos estar abaixo do nível de endividamento”

Presidente da Câmara de Mesão Frio desde 2009, Alberto Pereira pretende candidatar-se ao terceiro mandato à frente da autarquia nas eleições autárquicas deste ano.

“Na lógica e seguindo aquilo que está definido pelo próprio partido é que os presidentes de Câmara atuais sejam candidatos às próximas eleições, desde que seja possível. Há casos em que os autarcas estão no último mandato, aí pronto, não há nada a fazer”, explicou o edil.

Alberto Pereira faz um balanço “bastante positivo” dos anos em que se encontra a dirigir a Câmara Municipal, “nunca estamos satisfeitos com aquilo que fazemos, mas quando assumimos funções há sete anos atrás e me deparei com a situação económica em que a Câmara se encontrava, pus como meta que no final do segundo mandato pudéssemos estar abaixo do limite de endividamento”.

“Acontece que, fruto de uma rigorosa gestão e de um grande esforço, nós conseguimos que essa meta fosse atingida um ano antes, ou seja, no final de 2016 nós conseguimos, pela primeira vez nos últimos 20 anos, estar abaixo do limite de endividamento. E é bom que se diga que este objetivo foi cumprido sem nunca por em causa o apoio às pessoas e sendo sete anos de grande investimento em Mesão Frio”, revelou ao VivaDouro.

No futuro, Alberto Pereira, confessa que “falta sempre fazer alguma coisa”, sendo que uma das prioridades do edil é finalizar o campo de jogos no concelho. “O relvado e a iluminação estarão prontos este ano e quero até ao final do próximo mandato ter o estádio completamente pronto, com balneários bancadas e cobertura. Isto é um compromisso que faço com a população”, atestou.

O autarca pretende ainda continuar a “ajudar as famílias” e a “apostar na qualidade de vida das aldeias e das pessoas”, com a construção de determinadas infraestruturas, nomeadamente capelas mortuárias em algumas freguesias. O apoio aos jovens, aos idosos e à população em geral é outra das prioridades de Alberto Pereira no futuro.

 

Gustavo Duarte, autarca de Vila Nova de Foz Côa, eleito pelo PSD/ Foto: Salomé Ferreira

Gustavo Duarte: “Concretizámos praticamente tudo que prometemos”

Em Vila Nova de Foz Côa, Gustavo Duarte, pretende recandidatar-se novamente às eleições autárquicas, para a concretização do terceiro e último mandato.

Revelando que o seu nome enquanto candidato, “já está aprovado pela distrital do Partido Socialista da Guarda”, o edil afirma que “há alguns projetos em curso e, portanto, fechamos o ciclo dos três mandatos”.

A iniciar o oitavo ano à frente da Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa, Gustavo Duarte revela que, “felizmente aquilo que nos comprometemos penso que está cumprido a 90%”.

“Concretizámos praticamente tudo que prometemos, há sempre um aspeto ou outro. Mas eu acho que no nosso programa eleitoral até fizemos mais do que as coisas que estavam previstas”, acrescentou o edil.

“Pode haver um pormenor ou outro. Mas no geral fizemos tudo. Aliás, acho que fizemos até muitas coisas que não estavam no programa. Felizmente temos muitas obras, estou a falar nos dois mandatos, temos aqui obras que são de referência, não só do concelho mas até mesmo do país”, afirmou ao VivaDouro.

Gustavo Duarte sublinha ainda que a Câmara Municipal fechou “pela primeira vez” o ano “sem dívidas a fornecedores”, e mesmo “em dívidas de médio-longo prazo penso que neste momento posso dizer que não temos”.

Apesar disso, Gustavo Duarte realça que a autarquia apostou “sempre” no investimento. O edil afirma que foram feitos, ao longo dos dois mandatos, cerca de 20 milhões de euros em obras, “nunca se fez tanta obra em Vila Nova de Foz Côa”, explicou.

 

, , , , , ,