Barro preto de Bisalhães é Património Imaterial da Unesco

Barro preto de Bisalhães é Património Imaterial da Unesco / Foto: arquivo VivaDouro

Barro preto de Bisalhães é Património Imaterial da Unesco / Foto: arquivo VivaDouro

O processo de fabrico do barro preto de Bisalhães, em Vila Real, foi inscrito na lista do Património Cultural Imaterial que necessita de salvaguarda urgente da Unesco.

A decisão foi tomada na passada terça-feira, dia 29 de novembro, durante a 11.ª reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, que está a decorrer em Adis Abeba, capital da Etiópia.

Depois de, em 5 de março de 2015 o processo de confeção do Barro Preto de Bisalhães ter sido reconhecido como Património Cultural Nacional, por publicação em Diário da República e inscrição no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, o município de Vila Real decidiu avançar com a candidatura desta ancestral tradição à Lista do Património Cultural Imaterial que Necessita de Salvaguarda Urgente da Unesco, por esta ser uma atividade em vias de extinção.

O município disse que se tratou de um “processo complexo que demorou mais de um ano a ser completado”.

A inscrição na lista da Unesco vai, “motivar a implementação de um amplo plano de salvaguarda que o município de Vila Real idealizou, que vai desde a formação de oleiros, passando pela certificação do processo e até ao incentivo do surgimento de novas utilizações e designs para este material único”.

Presente na reunião em Adis Abeba, juntamente com a Vereadora da Cultura, Eugénia Almeida e o Coordenador Técnico da Candidatura, João Ribeiro da Silva, o Presidente do Município de Vila Real, Rui Santos, mostrou-se muito feliz com esta distinção de uma parte importante da cultura Vila-realense.

“Fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para que a candidatura do Processo de Fabrico do Barro Preto de Bisalhães fosse imaculada. Envolvemos os serviços de cultura municipais e todo um conjunto de especialistas que nos ajudaram. Estamos muito agradecidos a todos os que contribuíram para este desfecho tão positivo”, afirmou o edil vila-realense.

Consulte aqui  a reportagem realizada pelo VivaDouro acerca da Olaria Negra de Bisalhães em abril do ano passado.

 

, , , , , ,