CCDR-N lança 5.ª edição do Prémio Arquitetura do Douro

Lançamento da 5.ª edição do Prémio Arquitetura do Douro no Pinhão, concelho de Alijó/ Foto: Salomé Ferreira

Lançamento da 5.ª edição do Prémio Arquitetura do Douro no Pinhão, concelho de Alijó/ Foto: Salomé Ferreira

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) lançou ontem a quinta edição do Prémio Arquitetura do Douro, concurso que distingue e promove boas práticas de arquitetura no Património Mundial. O vencedor será conhecido em abril. 

O Hotel Vintage House, situado no Pinhão, foi o local escolhido para a apresentação deste concurso bienal, implementado há 10 anos.

Sublinhando que este concurso pretende “divulgar o que de melhor se vai fazendo em matéria de arquitetura no Douro”, Ricardo Magalhães, vice-presidente da CCDR-N, confessou aos jornalistas que esta edição vai “superar as expetativas” no que diz respeito ao número de participantes.

“Sabemos desde já que vamos ter muitos concorrentes, penso que vamos ter belos projetos e o juri vai ter a vida difícil”, afirmou Ricardo Magalhães.

O vice-presidente da CCDR-N sublinha ainda a importância de “dar continuidade à qualidade” dos projetos, “não nos podemos esquecer em nenhum momento que estamos numa área classificada como património da humanidade e portanto temos de ser muito exigentes”, acrescentou.

A edição dos 10 anos conta com a parceria com Ordem dos Arquitetos – Secção Regional do Norte, Direção Regional de Cultura do Norte e Entidade Regional de Turismo Porto e Norte.

Cláudia Costa, diretora da Ordem dos Arquitetos do Norte, afirma que “este prémio é um incentivo muito grande para aquilo que é a promoção de arquitetura de qualidade no nosso país e na região Demarcada do Douro”.

 

Na opinião da diretora da Ordem dos Arquitetos do Norte, “este prémio é importante também para a questão profissional, no sentido de envolver pedagogicamente os arquitetos mais jovens para aquilo que é uma arquitetura de qualidade”.

A iniciativa lançada pela CCDR-N dirige-se a intervenções de construção, conservação ou reabilitação de edifícios ou conjuntos arquitetónicos, bem como intervenções de desenho urbano em espaço público, feitos depois da classificação.

A última edição deste prémio, correspondente aos anos 2013/2014, foi ganha pelo Museu do Côa, dos arquitetos Camilo Rebelo e Tiago Pimentel.

Em 2011, o galardão foi atribuído ao armazém de envelhecimento de vinho desenhado por Siza Vieira para a Quinta do Portal e instalado entre as vinhas da paisagem classificada pela UNESCO.

 

 

 

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,