Ministro da economia inaugurou o Regia Douro Park em Vila Real

Antes da cerimónia de inauguração, Manuel Caldeira Cabral fez uma visita ao Regia Douro Park/ Foto: Salomé Ferreira

Antes da cerimónia de inauguração, Manuel Caldeira Cabral fez uma visita ao Regia Douro Park/ Foto: Salomé Ferreira

O Parque de Ciência e Tecnologia, situado em Vila Real, foi inaugurado no passado dia 20 de maio numa cerimónia que contou com a presença de Manuel Caldeira Cabral, ministro da economia. Em funcionamento há cerca de um ano, a infraestrutura tem já uma taxa de ocupação superior a 85%, com 30 empresas em atividade que empregam cerca de 100 pessoas.

“São infraestruturas como esta que vão dar vida e rentabilizar os investimentos em infraestruturas que aqui são feitos”, afirmou o ministro da economia na cerimónia de inauguração do Regia Douro Park em Vila Real.

Na opinião do responsável da pasta da economia, este investimento vai “ajudar a desenvolver ainda mais a região do interior do país”, sendo que de acordo com Manuel Caldeira Cabral “o desenvolvimento das regiões faz-se com as empresas, os empresários e com a valorização dos produtos da região”, declarou aos jornalistas.

Para Rui Santos, presidente da autarquia de Vila Real, “hoje é um dia em que se completa um percurso, diria mais, hoje é um dia feliz em que se concretiza um sonho, um sonho longo de quase 10 anos e que todos nós sonhamos em conjunto”, afirmou o edil no discurso da cerimónia de inauguração.

Na foto: Nuno Augusto (diretor geral do parque), Rui Santos (presidente da autarquia), Manuel Caldeira Cabral (Ministro da Economia)/ Foto: Salomé Ferreira

Na foto: Nuno Augusto (diretor geral do parque), Rui Santos (presidente da autarquia), Manuel Caldeira Cabral (Ministro da Economia)/ Foto: Salomé Ferreira

O projeto resulta assim de um “sonho” da autarquia em conjunto com a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), tendo sido necessários 9,5 milhões de euros para a concretização da obra, sendo que 85% resultam da comparticipação do Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN).

O Regia Douro Park é constituído por uma incubadora de empresas, um centro de negócios, lotes industriais e por o Centro de Excelência da Vinha e do Vinho, “um complexo laboratorial de excelência tecnológica” dinamizado pela UTAD e por instituições parceiras, direcionado para o apoio às empresas nos setores da vitivinicultura, agroalimentar e ambiente.

De acordo com Rui Santos, este polo “permitirá que no futuro próximo haja investigação aplicada, transferência de conhecimento e de tecnologia entre o mundo empresarial e o mundo académico”, referiu o presidente da autarquia, acrescentando que esta parceria “é o casamento perfeito e trará com certeza mais empresas, mais economia e mais postos de trabalho à região”.

António Fontainhas Fernandes, reitor da UTAD, relembra que mais do que “investir em infraestruturas”, tem que “se investir nas pessoas”.

“Eu tenho vindo a dizer que todas as universidades têm a missão do ensino, da investigação e da transferência de conhecimento mas no nosso caso, as universidades que estão situadas em territórios desafiantes, temos que ter uma quarta dimensão, que é a valorização do território, temos de trabalhar de acordo com as pessoas do território, criar projetos dinâmicos que fixem pessoas, que fixem emprego”, salientou na inauguração da infraestrutura.

Emídio Gomes, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), salienta que o Regia Douro Park “é mais um passo para a união de todos em torno de um norte melhor e de uma região mais próspera”, declarou.

Também Francisco Lopes, presidente da Comunidade Intermunicipal do Douro, afirma que “este é um equipamento promissor para a região”, disse o autarca na inauguração. “É um parque muito importante porque de facto a sua abrangência territorial não se restringe a Vila Real mas efetivamente a toda a região do Douro”, afirmou.

Nuno Augusto, diretor geral do parque, sublinha o facto de o parque já se encontrar “muito desenvolvido e consolidado”, uma vez que em funcionamento há cerca de um ano, tem já uma taxa de ocupação de mais de 85% e 30 empresas instaladas que dão emprego a cerca de 100 pessoas.

Para Rui Santos, este indicador “reflete o espirito empreendedor e inovador que terá que fazer parte da nova cultura empreendedora da região e que faz parte da nossa visão estratégica”, afirmou o autarca.

O Regia Douro Park está direcionado para as áreas agroalimentar, agroindustrial, enologia, viticultura, economia verde, valorização ambiental e tecnologias agroambientais e tem várias valências de suportes dirigidas a empreendedores, empresas e investigadores nacionais e internacionais.

 

, , , , ,