Rui Santos: “Este é um evento histórico”

DSC_0188

Rui Santos, presidente da Câmara Municipal de Vila Real

Vila Real recebeu, no passado fim-de-semana, pela primeira vez, uma prova do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo (WTCC), integrada no 45.º Circuito Internacional de Vila Real. Rui Santos, presidente da Câmara Municipal, considera que o evento “superou todas as expectativas”, salientando ainda que a iniciativa está paga e que projetou Vila Real para o mundo.

De 10 a 12 de julho todos os caminhos foram dar a Vila Real, a capital transmontana recebeu aquele que, de acordo com Federação Internacional de Automobilismo, é um dos melhores eventos automobilísticos a decorrer em Portugal este ano. Na opinião de Rui Santos este foi um “evento histórico para a história do Circuito Internacional e para a cidade”. “Foi talvez o evento que mais projetou Vila Real no mundo”, acrescentou.

Rui Santos descreveu o evento como “maravilhoso”, ao mesmo tempo que admitia um “balanço extremamente positivo” acerca destes três dias. “A mensagem que temos recolhido te todos aqueles que participaram é de satisfação por tudo aquilo que foi feito nos últimos dias aqui em Vila Real”, revelou.

Testemunhos de algumas pessoas que assistiram às corridas

Testemunhos de algumas pessoas que assistiram às corridas

Nas estimativas realizadas antes da realização do circuito eram esperadas 220 mil pessoas para assistir às provas ao longo dos três dias. Apesar de ainda não ter dados oficiais, Rui Santos adiantou que a meio da tarde de domingo tinha indicação que mais de 180 mil pessoas tinham passado pelo circuito até aquele momento, “andará muito perto das 200 mil pessoas nos três dias”, estimou o autarca.

O presidente da Câmara revelou ainda que o evento está pago, “já estava pago à partida e portanto as receitas são semelhantes às despesas”, afirmou, “ a receita anda perto de 1,5 milhões de euros e as despesas também”, explicou.

Também Francisco Brito, membro da Associação Promotora do Circuito Internacional de Vila Real, fez uma apreciação positiva em relação à estreia do WTCC na cidade transmontana, indicando apenas o facto de existirem, “alguns pormenores no traçado que poderão ser melhorados”, declarou ao VivaDouro.

Rui Santos aproveitou ainda para agradecer a “todos aqueles que trabalharam muitos dias para que tudo isto fosse uma realidade”, declarou. O autarca garantiu ainda que o evento se realizará de novo no próximo ano.

O presidente não esconde a paixão que tem pelos automóveis e pela velocidade, assim, o autarca vestiu o fato de piloto e acelerou no Troféu Abarth 500.“Cumpri um sonho de criança”, admitiu. “Quando via Manuel Fernandes, Sidónio Cabanelas, António Taveira, pilotos de Vila Real, a correr imaginava-me um dia no circuito, mas não tinha a expetativa de que tal pudesse acontecer”, contou ao VivaDouro.

A participação deste ano não foi a estreia do autarca no circuito, Rui Santos correu também nas provas de 2014, onde fez uma participação “muito cautelosa”, como o próprio descreveu, “diria que não usufrui de forma completa”, afirmou. “Este ano com mais confiança e tranquilidade voltaram-me a fazer o convite e a tentação foi mais que a razão e voltei a participar”, revelou.

“Se eu o achava fantástico agora acho-o extraordinário”, revelou Rui Santos, ao falar acerca da opinião que tem do circuito depois de o ter experimentado enquanto piloto. O presidente partilha ainda a opinião de grande parte dos pilotos em relação à chicane de Mateus, “sou daqueles que considera que a chicane de Mateus está a mais”, declarou.

Para além do WTCC o circuito citadino recebeu ainda mais seis provas nacionais, onde participaram mais de 120 pilotos portugueses. A FEUP (Desafio único), Legends Cups, Competição Nacional de Clássicos, Competição Nacional de Velocidade e a Troféu 500.

, , , , , ,