Viagem no tempo até ao reino de Penedono

DSC_9475

Milhares de pessoas visitaram uma das mais conhecidas Feiras Medievais da Região

 O “Reino de Penedono” recuou no tempo e foi palco de mais uma edição da Feira Medieval no fim-de-semana de 3,4 e 5 de julho. A vila esteve em festa e o ambiente que se fazia sentir no centro histórico levou milhares de visitantes a uma das feiras medievais mais conhecidas da região.

Por terras de Magriço ouviam-se os sons dos tambores e das flautas. Cavaleiros, monges, mercadores, malabaristas, artesãos e tantas outras personagens alusivas à época passeavam pelas ruas. O sentimento era de alegria e de uma sensação de recuo na época, uma autêntica viagem na máquina do tempo.

Na opinião de Carlos Esteves de Carvalho, presidente da Câmara Municipal de Penedono, esta edição do certame “correu muito bem, foi uma aposta completamente ganha”, sublinhou.

DSC_9436

As ruas do centro histórico encheram-se de alegria

Desde o célebre “Assalto ao Castelo”, às batalhas entre cavaleiros, entre outras atividades, no que diz respeito ao programa, as iniciativas mantiveram-se na mesma linha das edições anteriores. De acordo com o presidente, a autarquia apostou no reforço e no melhoramento das atividades que já existiam. “Existe a continuidade da aposta real para que esta feira esteja em completa evolução naquilo que diz respeito a qualidade”, explicou o autarca.

Questionado acerca do que distingue a Feira Medieval de Penedono das restantes, Carlos Esteves de Carvalho, referiu a envolvência física de que a vila é detentora, “perdoem-me todos os outros espaços que são dignos, tão dignos como este. Este castelo com esta grandeza que tem é testemunha real de tudo isto. Considero que é dos concelhos que tem os espaços ímpares mais apropriados para este tipo de ações”, confessou.

Para além dos inúmeros visitantes vindos de várias zonas de Portugal, a autarquia tem sentido, nos últimos três anos, um aumento do número de turistas espanhóis a visitar a feira, principalmente vindos através do norte do país. O presidente do município acredita que este aumento se deve à “ação que tem sido desenvolvida pela Entidade de Turismo Porto e Norte que pretende pôr toda a região em rede”, afirmou.

Maria Elisseos veio de Salamanca para se estrear na Feira Medieval. A expetativa que trazia era elevada mas a satisfação que sentia pelo evento era notável, “estou a gostar muito”, referiu. “Há muitos sítios em que realizam feiras mas as encenações de batalhas como fizeram aqui nunca tinha visto”, declarou.

Felisberta Carvalho, Visitante da Feira Medieval

Felisberta Carvalho, Visitante da Feira Medieval

Para Felisberta Carvalho e a sua família os três dias foram de uma total viagem ao passado, não se limitaram apenas a visitar o evento, decidiram também entrar na época e vestiram-se a preceito, com indumentárias alusivas à época retratada. Com origens em Penela da Beira, vivem em Lisboa e devido a questões profissionais nunca tinham tido oportunidade de participar na feira, tendo sido este também o ano de estreia para esta família.

A curiosidade foi a principal razão que fez Ana Paula viajar de Torres Vedras até terras de Penedono para conhecer a feira, “eu gosto muito desta época, foi um dos motivos que me fez vir cá, foi realmente conhecer e ver como era retratado, gostei mesmo muito”, confessou.

Para além das várias encenações que transportam os visitantes para a época medieval, o artesanato e o comércio são outras das componentes indispensáveis neste tipo de eventos. Os comerciantes, provenientes de vários pontos do país, vestem-se a rigor e vendem os seus produtos.

Ana Morão, vendedora na Feira Medieval

Ana Morão, vendedora na Feira Medieval

É o segundo ano que Ana Mourão vem até Penedono para vender os seus produtos feitos à mão. A vendedora, proveniente de Vila Real, considera que este ano “o negócio melhorou bastante em relação ao ano passado”, revelou, ao apontar o estado do tempo como uma das razões para essa mudança, “no ano passado o domingo ainda foi chuvoso, este ano penso que há mais gente”, afirmou.

Vindo de Viseu, Jorge Rocha, participa na feira desde a 1.ª edição, “Penedono está sempre de parabéns pela feira autêntica que tem na região”, referiu, acrescentando ainda que, na sua opinião, “é uma das feiras mais características, o castelo também será dos mais bonitos do País”.

Sandra Borges foi de Almada até Penedono para vender os seus produtos

Sandra Borges viajou de Almada até Penedono para vender os seus produtos

Também Sandra Borges, de Almada, refere a beleza do castelo como uma das singularidades do evento, “o espaço está muito bem enquadrado, acho que se enquadra muito bem na época”, afirmou.

A Feira Medieval é considerada, pela autarquia, como o evento com mais relevo no concelho, com um impacto económico significativo para a vila. “O que se sente é satisfação nos agentes económicos e é esse o grande objetivo da câmara, conseguir transformar esta iniciativa, que acarreta algumas despesas, em investimento junto da economia local”, afirmou Carlos Esteves de Carvalho.

 

 

 

 

, , , , , ,