Vindouro leva milhares a São João da Pesqueira

Na foto: Paulo Tolda, diretor da Capital Douro, Leitão Amaro, Secretário de Estado da Administração Local e José Fontão Tulha, presidente da Câmara Municipal de S. João da Pesqueira/ Foto: Salomé Ferreira

Na foto: Paulo Tolda, diretor da Capital Douro, Leitão Amaro, Secretário de Estado da Administração Local e José Fontão Tulha, presidente da Câmara Municipal de S. João da Pesqueira/ Foto: Salomé Ferreira

José Fontão Tulha, presidente da Câmara Municipal de São João da Pesqueira, estima que a Vindouro- Festa Pombalina levou à vila mais de 20 000 pessoas ao longo dos três dias do certame. O programa da 13.ª edição ficou marcado por várias novidades, nomeadamente a realização de lagaradas tradicionais, a utilização do Museu do Vinho para acolher os vários produtores na prova livre de vinhos e a estreia da Feira Das Atividades Económicas, organizada pela Capital Douro em parceria com o município.

São João da Pesqueira voltou-se a inundar do espirito da época pombalina e recebeu entre 4 e 6 de setembro a 13.ª edição da Vindouro- Festa Pombalina, a organização acredita que o certame deste ano levou à vila mais pessoas do que no ano passado.

“A Vindouro já é uma marca e as pessoas aproveitam esta altura para nos visitar”, afirmou José Fontão Tulha ao fazer um balanço positivo desta edição, “parece-me que o resultado final excedeu as expetativas”, acrescentou o autarca.

Com entrada livre no Museu do Vinho durante os três dias, os visitantes tiveram oportunidade de ficar a conhecer as várias novidades que as três dezenas de produtores estiveram a apresentar naquele espaço inaugurado no final do ano passado. “O edifício do Museu do Vinho é espantoso, está muito bem organizado e etiquetado”, afirmou Daniel Ribeiro, da Livração de Marco de Canaveses, que se encontrava a visitar pela primeira vez a Festa Pombalina.

A edição deste ano da Vindouro ficou ainda marcada pela realização de lagaradas tradicionais, protagonizadas também pelos produtores.

Desta forma, os visitantes tiveram a oportunidade de reviver o passado e experienciar a sensação de pisar as uvas ao som da música tradicional. Para alguns foi mesmo a estreia num lagar, é o caso de Vanessa Sousa, visitante que nunca tinha realizado esta atividade, “foi uma experiência única mesmo, nunca tinha feito nada do género, foi espetacular”, confessou a jovem ao sair do lagar.

Com a utilização do Museu do Vinho de São João da Pesqueira para a realização de grande parte do programa, o salão de exposições ficou livre para uma nova novidade, a I Feira das Atividades Económicas, organizada pela Capital Douro – Associação Industrial, Comercial e de Serviços de S. João da Pesqueira em parceria com o município.

“Esta Feira era algo que queríamos realizar há muito tempo, era uma necessidade que os nossos associados também nos iam solicitando”, confessou Paulo Tolda, presidente da direção da Capital Douro.

Tendo como objetivos principais a divulgação dos produtos dos associados e a dinamização da própria associação, a I Feira das Atividades Económicas foi recebida de forma positiva pelos agentes económicos da região, “ficaram desde logo entusiasmados até porque já vinham dizendo que havia essa necessidade, abrimos as inscrições e ficaram praticamente todas preenchidas”, afirmou o membro da direção.

“Este tipo de eventos a nível local tem a vantagem de reter o público, de o atrair, é um complemento a uma série de outras atividades”, acrescentou.

Após o evento, a direção da Capital Douro fez um balanço positivo da primeira edição da iniciativa, “penso que de uma maneira geral a satisfação é acima da média, superou todas as expetativas”, confessou Tiago Fernandes, membro da Capital Douro.

Com uma apreciação positiva da parte dos associados, a Capital Douro mostra vontade de voltar a realizar a Feira das Atividades Económicas para o próximo ano, está ainda a ser posta em cima da mesa a hipótese de realizar a feira noutras alturas do ano, “vamos trabalhar para que no futuro consigamos fazer uma feira nossa, noutra altura, também mais vantajosa em termos de época para estes setores”, revelou Paulo Tolda.

, , , , ,