Alberto Pereira: “Só fui candidato à Câmara de Mesão Frio por um acidente de percurso”

Alberto Pereira, presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio

Alberto Pereira, presidente da Câmara Municipal de Mesão Frio

Alberto Pereira encontra-se a dirigir a Câmara Municipal de Mesão Frio desde 2009, depois de quase sete anos à frente de autarquia o presidente sente-se “perfeitamente realizado” e acredita ter feito “uma grande missão com o povo de Mesão Frio”. O VivaDouro acompanhou o autarca em mais uma rúbrica: “Um dia com o Presidente”.

O dia de Alberto Pereira começa cedo, todos os dias, por volta das oito da manhã, o presidente vai até ao Café Avenida, situado no centro da vila, tomar o pequeno-almoço e fazer o primeiro contacto com os munícipes.

Tirando este hábito diário, o autarca considera que cada dia é diferente, “não tenho nenhum dia igual ao outro”, revelou ao VivaDouro, enquanto tomava o primeiro café da manhã.

“Quando me levanto nunca sei o que vou fazer nesse dia, não tenho uma agenda prédefinida, quem vier ao meu gabinete é atendido a qualquer hora e minuto, não tenho dia marcado para receber ninguém”, acrescentou o edil.

Alberto Pereira não tinha como ambição chegar a presidente do município, de acordo com o autarca, a candidatura surgiu como um “acidente de percurso”, explicou em conversa ao VivaDouro. “Nunca esteve nas minhas aspirações ser presidente de Câmara, mas a situação económica em que o município se encontrava falou mais alto”, confessou.

Quando assumiu o cargo em 2009, Alberto Pereira revela que encontrou a Câmara Municipal “numa situação muito preocupante”, uma vez que a dívida do município ascendia aos dez milhões de euros.

“Tivemos que ter uma gestão muito rigorosa, abdicar de algumas coisas e fazer inclusivamente uma gestão em termos de pessoal que nos permitisse pagar a quem devíamos”, acrescentou o edil, revelando que a dívida foi a principal dificuldade encontrada até agora no exercício do cargo de presidente.

“Estas foram as preocupações mais difíceis que tivemos até hoje e que continuam a limitar a nossa ação diária”, declarou.

“Fechamos o ano de 2015 com a dívida nos 6,8 milhões de euros, uma descida considerável, mas queremos continuar a descer, até porque neste momento a dívida ainda não está em valores suportáveis”, referiu o autarca.

O edil começa o dia no Café Avenida

O edil começa o dia no Café Avenida

O relógio marcava as nove horas da manhã quando o presidente se dirigiu para os Paços do Concelho. Na entrada, já tinha um casal de idosos à espera para falar acerca das intempéries que tinham assolado a região nos últimos dias.

“Gosto do contacto permanente com as pessoas, gosto de as atender na rua, no gabinete, no café, estou sempre disponível para atender a minha população com os seus problemas, e tento, sempre que possível, ajudá-los naquilo que posso”, afirmou o autarca.

Depois de receber os dois munícipes, Alberto Pereira reuniu com a chefe de divisão financeira e com uma associação local. O resto da manhã do presidente foi passada a visitar as várias freguesias afetadas pelo mau tempo que se tinha feito sentir na região uns dias antes.

A visita começou por Vila Marim, mais concretamente Donsumil, o local mais afetado pela intempérie. No local, para além de acompanhar os trabalhos de limpeza que se encontravam a decorrer, Alberto Pereira aproveitou ainda a oportunidade para falar com os habitantes mais afetados.

“Aquilo parecia o fim do mundo, se demorava mais três minutos levava-me a casa abaixo, tenho 50 anos e foi a primeira vez que vi algo assim”, explicava ao presidente Leonor Borges, habitante da freguesia.

“Há 50 anos que isto não acontecia e garanto que não é nesta vida que volta a acontecer”, desabafou o autarca devastado com os estragos.

O presidente em visita a Donsumil, uma das zonas mais afetadas pelas intempéries

O presidente em visita a Donsumil, uma das zonas mais afetadas pelas intempéries

O Dia com o Presidente prosseguiu com a visita a vários pontos do concelho afetados com o mau tempo, bem como a alguns dos pontos mais emblemáticos de Mesão Frio.

Alberto Pereira revela que se sente “muito acarinhado” pela população, “é lógico que não conseguimos agradar a 100%, nem é isso que pretendo, mas sinto que dentro das limitações que a Câmara tem tido tenho conseguido dar resposta áquilo que as pessoas esperavam de mim”, desabafou o presidente.

O relógio marcava as 13 horas quando o presidente se dirigiu novamente ao Café Avenida para almoçar. Na ementa: grelhada mista com arroz branco e feijão. Enquanto almoçava, o presidente aproveitou a ocasião para confraternizar com os funcionários da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio, instituição em que desempenha as funções de provedor há 18 anos, encontrando-se já no 7.º mandato.

Questionado acerca de como consegue conjugar a função de presidente com a de provedor de Misericórdia, Alberto Pereira revelou que tenta “conciliar as duas instituições sem nunca as confundir”.

Para além do problema da dívida do concelho, o presidente revelou ao VivaDouro que outro dos problemas vividos em Mesão Frio é a falta de emprego, “estamos num concelho especialmente agrícola, não temos indústrias, os acessos não são os melhores para cativar os empreendimentos”, afirmou.

Alberto Pereira reunido com um funcionário da Câmara Municipal

Alberto Pereira reunido o seu secretário

No entanto, o edil considera que a solução passa por apostar em dois setores essenciais: a vinha e o turismo “temos de fazer um casamento perfeito entre os dois”, explicou. “Estamos a fazer um trabalho nesse sentido, estou neste momento em contacto com vários empresários que querem apostar no turismo aqui no concelho, tudo faremos para que elas se insiram aqui, para darmos uma sapatada neste flagelo que é o desemprego, que aflige não só o país mas principalmente a nossa região”.

A tarde de Alberto Pereira iniciou-se com algumas reuniões com funcionários do município, seguida de uma pequena entrevista ao VivaDouro.

Em conversa, o presidente revelou que um dos objetivos até ao final do mandato é a concretização do Estádio Municipal, que de acordo com o edil será uma “obra emblemática para o concelho”.

“Somos o único concelho do país que ainda não tem um relvado, é lamentável que os jovens do concelho tenham que treinar debaixo de chuva, gelo e lama”, explicou o edil ao revelar que pretende dar início à obra ainda este ano.

Há praticamente sete anos à frente do município, Alberto Pereira faz um “balanço bastante positivo” do mandato, tendo em conta a “disponibilidade financeira que temos tido”, acrescentou. “Não só conseguimos baixar a dívida, como aproveitamos todas as oportunidades que tivemos para fazer as obras financiadas e que são emblemáticas para Mesão Frio”.

“Se eu abandonar a Câmara Municipal neste mandato sinto-me perfeitamente realizado e sinto que fiz uma grande missão para com o povo de Mesão Frio, pelo menos em termos económicos e financeiros, restabeleci a confiança e honra desta Câmara, algo que não existia quando cá cheguei”, constatou.

Alberto Pereira revelou ainda que “ainda não” sabe se vai voltar a candidatar-se ao cargo nas próximas autárquicas, “sou uma pessoa que gosta de viver o dia-a-dia, pensarei nessa questão no final do ano”, garantiu.

O dia do presidente terminou com a reunião de Câmara

O dia do presidente terminou com a reunião de Câmara

O Dia do Presidente terminou com a reunião de Câmara, que durou aproximadamente uma hora e para além da presença da vereação e da oposição, contou igualmente com a participação de alguns munícipes.

Alberto Pereira deixou uma mensagem de “esperança e confiança” para os habitantes de Mesão Frio, garantindo que “melhores dias virão”.

“Tudo faremos para que no próximo mandato, se eu for candidato e se o povo confiar em mim, que a situação económica da Câmara já nos permitirá fazer muito mais do que fizemos nos últimos mandatos”, concluiu.

, , , ,
2 comentários em “Alberto Pereira: “Só fui candidato à Câmara de Mesão Frio por um acidente de percurso”
  1. “Questionado acerca de como consegue conjugar a função de presidente com a de provedor de Misericórdia, Alberto Pereira revelou que tenta “conciliar as duas instituições sem nunca as confundir”. Esta frase é curiosa! Só quem não vive em Mesão Frio é que acredita. Porém a fama do senhor presidente, é conhecida pelos autarcas vizinhos.

  2. Eu sou um familiar de um idoso utente dessa Santa Casa; um daqueles a quem foi exigido dinheiro para lá entrar. Não se preocuparam se o tinha e se os familiares tinham posses para o que exigiam. Pagámos. Essa verba entrou na instituição…ou foi juntar-se ao pecúlio deste benemérito rapaz entrevistado …???
    Pelas contas apresentadas….donativos ou pagamentos adiantados… de futuros utentes…. nem rasto!!!

    Ao que parece há algumas centenas de milhares de euros…desaparecidos(?) nas mesmas circunstâncias.

    Quem não te conhecer que te compre rapaz Berto.

    No fim de semana das últimas intempéries, ninguém te pôs a vista em cima em Mesão Frio…por isso andas tão aplicado em branquear a tua imagem.

    Ah! E cuidado com as passadeiras.

Comments are closed.