Artista de Penedono escolhida para representar Portugal em concurso internacional

Fátima Teles, Artista Plástica de Penedono/Foto: Direitos Reservados

Fátima Teles, Artista Plástica de Penedono/Foto: Direitos Reservados

A artista plástica Fátima Teles, natural de Penedono, é uma dos seis artistas portugueses escolhidos para representar Portugal na  Biennale Jeune Création Européenne, um projeto internacional para jovens artistas, estando Portugal representado por Amarante, através do Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso (MMASC).

“Este é de facto um dos momentos mais marcantes da minha carreira”, confessou Fátima Teles ao VivaDouro, após ser uma dos artistas escolhidos para representar Portugal na Biennale Jeune Création Européenne, um projeto itinerante que durante dois anos passará por alguns dos melhores museus da europa, com uma exposição que compila trabalhos de  48 artistas europeus.

A artista, que tem Mario Merz, Piet Mondrian e Kazimir Malevitch como principais inspiradores, teve conhecimento do concurso, elaborou um dossier de candidatura para o MMASC e acabou por ser uma das selecionadas.

“Isto significa a validação e valorização do meu trabalho. São estes momentos que nos dão alento para continuar”, afirmou a artista plástica. “É muito gratificante ver o trabalho que eu faço e em que eu acredito ser reconhecido, o que me dá força para continuar a desenvolvê-lo”, acrescentou.

A arte fez sempre parte da vida de Fátima Teles, “sempre tive um grande interesse pelo mundo das artes, desde muito cedo que passava muito tempo a desenhar e quando chegou a altura de escolher a área de estudo, pareceu-me natural ir para artes”, contou ao VivaDouro.

A artista vai apresentar na exposição o trabalho intitulado “Série II, Construção

A artista vai apresentar na exposição o trabalho  “Série II, Construção IV"/Foto: Direitos Reservados

A artista vai apresentar na exposição o trabalho “Série II, Construção IV”/Foto: Direitos Reservados

IV”, que faz parte de um conjunto de trabalhos em que Fátima Teles recorre à pintura renascentista, à série de números de Fibonacci e à subsequente geometria desenvolvida pelos pintores daquele período.

“O meu trabalho tem por base o retângulo de ouro e procura, através de uma lógica predeterminada onde cada medida depende da que lhe deu origem, criar espaços visuais e estéticos”, explicou a artista plástica.

A exposição será inaugurada a 14 de outubro em Montrouge – Paris, França e termina com uma exposição no Museu Amadeo de Souza Cardoso no ano de 2017. Ao longo dos dois anos passará ainda por Maastricht (Holanda), Hjørring (Dinamarca), Wroclaw (Polónia), Cesis (Letónia), Como (Itália) e Figueras (Espanha).

, , , ,