Autarca reguense questiona CP sobre cortes nos comboios

José Manuel Gonçalves, autarca reguense questionou hoje a CP sobre potenciais cortes nas ligações ferroviárias na Linha do Douro.

Numa publicação feita na rede social Facebook o autarca refere “um conjunto de alterações profundas” que estarão a ser preparados pela CP que, com a apresentação do horário de inverno se estará a preparar para cortar três ligações entre o Pocinho e Peso da Régua, assim como o corte de duas ligações entre Régua e Marco de Canaveses, bem como a utilização do mesmo material circulante que funcionou nesta linha, de forma excecional, durante as obras de electrificação.

Na missiva dirigida à CP, José Manuel Gonçalves denuncia ainda as condições precárias em que muitos utentes utilizam a linha sendo muitas vezes obrigados a viajar em pé entre o Porto e Marco de Canaveses com a viajem a ter um custo três vezes superior ao pago pelos utentes da Área Metropolitana do Porto.

Leia aqui a carta, na íntegra, do autarca reguense à CP.

“Em virtude das informações ainda não oficiais que circulam, relacionadas com um conjunto de alterações profundas qua a CP – Comboios de Portugal pretende realizar na Linha do Douro, solicitei a clarificação das seguintes questões:

“1 – Está a ser ponderado pela CP a extinção de três serviços diários inter-regionais de Peso da Régua para o Pocinho e do Pocinho até Peso da Régua?

2 – Está a ser ponderado pela CP a eliminação de 2 serviços de comboios regionais de Peso da Régua até ao Marco de Canaveses e vice-versa, assim como dois serviços inter-regionais Peso da Régua – Porto e vice-versa?

3 – Está a ser ponderado pela CP a substituição do material circulante, regressando à linha entre o Marco de Canaveses – Peso da Régua – Pocinho o mesmo material que foi utilizado de forma excecional nas obras de eletrificação?

Gostaria ainda de aproveitar para denunciar a clara discriminação de que os utentes desta região estão a ser alvo na utilização da linha ferroviária do Douro, pagando três vezes mais do que os utentes da área metropolitana do Porto, tendo na maior parte das vezes que viajar de pé, na circulação entre o Porto e o Marco de Canaveses. Estes utentes são prejudicados no preço, bem como nas condições de deslocação, o que consideramos inaceitável e discriminatória.”

Esperamos clarificar estas questões, que a serem verdade muito penalizariam a região do Douro e os Durienses.”

Entretanto ao final da tarde a transportadora, em comunicado enviado às redações já veio negar as alterações afirmando-se disponível para reunir com o autarca da Régua com o objetivo de esclarecer qualquer dúvida.

, ,