Barcos Rabelos regressam ao Douro Vinhateiro

Pela primeira vez realiza-se a regata de barcos rabelos na região do Douro. Acontecimento de invulgar beleza num cenário classificado pela UNESCO, o Douro vai-se engalanar para este acontecimento único, com as suas gentes que no dia a dia semeiam o seu suor para dar vida ás cepas que produzem o néctar que se celebra neste dia 10 de Setembro

No âmbito das comemorações do Dia do Vinho do Porto realiza-se anualmente, uma regata de Barcos Rabelos na zona do Porto, no entanto, este ano, a Confraria dos Vinho do Douro decidiu desafiar a organização para realizar a prova no coração do Douro Vinhateiro.

“Achamos que seria importante ter esta prova aqui, volta a ter os Barcos Rabelos a navegar no Douro, desta vez não a transportar o Vinho do Porto mas para uma regata inédita. Lançamos esse desafio à organização da prova e ele acabou por ser aceite, para nosso contentamento”, afirma João Azeredo, Mestre Procurador da Confraria.

João Azeredo, Mestre Procurador da Confraria dos Vinho do Douro

A prova terá lugar no próximo dia 10 de setembro e irá juntar mais de uma dezena de embarcações das diferentes empresas de Vinho do Porto. “No total serão 12 embarcações que serão rebocadas desde o Porto no dia anterior, uma operação complexa e que conta com a colaboração das diversas entidades envolvidas, desde a organização, os participantes, a APDL e a Polícia Marítima. Um esforço conjunto para dar corpo a este desejo antigo que era voltar a ver estes barcos a navegarem nestas águas”, explica João Azeredo.

Para o Mestre Procurador, a presença dos barcos no Douro é desde logo um motivo de celebração, “é algo que faz parte do imaginário de muitos, já passaram muitos anos desde que os Rabelos deixaram de navegar no nosso rio. Não digo que era um sonho porque os sonhos normalmente são algo intocável, diria mais que era um desejo antigo nosso voltar a ver o rio ser atravessado por estas embarcações”.

Apesar de ser um momento único, a Confraria pretende, com esta organização, abrir as portas para futuros eventos do género. “Não queremos que esta seja uma regata que acontece apenas uma vez, queremos que seja a primeira de muitas, por isso estamos a trabalhar de forma séria para que tudo corra da melhor forma e assim seja plantada a semente para os próximos anos”.

O percurso que as embarcações vão fazer será o troço de rio que liga a barragem de Bagaúste ao Pinhão, uma extensão que a organização prevê que seja feita em duas horas, entre as 15:30 e as 17:30, contudo, “a falta de vento pode fazer com que seja um pouco mais lenta, mas isso também dará oportunidade às pessoas de verem os barcos por mais tempo a navegar”.

Numa altura em que já haverá vindimas e a região estará cheia de turistas, João Azeredo acredita que está será também “uma oportunidade de captar imagens únicas no Douro, postais que ficarão para a posteridade”.

O público poderá acompanhar o desfilar dos Barcos Rabelos, com as deslumbrantes velas desfraldadas ao vento num espetáculo de rara e invulgar beleza e significado.