Certame Formativo realizou-se pela primeira vez em Armamar

Primeiro Certame Formativo em Armamar

Primeiro Certame Formativo em Armamar

Realizou-se no dia 11 de março o primeiro Certame Formativo, Profissional e ocupacional para jovens, no Mercado Municipal de Armamar. A iniciativa foi organizada pela Comissão de Proteção e Crianças e Jovens (CPCJ) do concelho com o apoio da Câmara Municipal, do Gabinete de Apoio Profissional, do Instituto Português do Desporto e da Juventude e do Agrupamento de Escolas de Armamar.

O evento teve como principal objetivo “promover ações de prevenção de situações de risco relativamente a crianças e jovens”, afirmou Carlos Campos, presidente da CPCJ do concelho. O responsável frisou que há “um grupo de jovens que gostaríamos de atingir devido à existência de algumas problemáticas a nível de situações de perigo e comportamentos desviantes”, acrescentando que, “são características de jovens que andam sem rumo, sem grandes perspetivas de vida e que tendencionalmente abandonam a escola precocemente”.

No certame estavam representadas quatro áreas distintas, a formativa, cívica, ocupacional e profissional. “Optamos por dar um pouco de tudo para que os jovens possam ter a possibilidade de escolher um futuro profissional ou uma ocupação saudável para os tempos livres”, sublinhou Carlos Campos.

Para a iniciativa foi mobilizada a escola local, que ao longo do dia efetuou diversas visitas de estudo com alunos do 9.º ao 12.º ano. Os jovens tiveram ainda a oportunidade de participar no certame com um quadro de atividades lúdicas que lhes permitiu contactar diretamente com todas as entidades presentes.

“Entendemos que era importante fazer uma ação que lhes dê-se uma perspetiva das ocupações que existem no concelho, tanto nos tempos livres, onde temos atividades como o teatro, a música, o associativismo, os escuteiros e o banco de voluntariado como também na parte profissional, dado que muitos deles não querem seguir o percurso académico”, salientou o presidente da CPCJ. “Há cursos aliciantes em áreas militares, que são atrativos para os jovens e daí a nossa aposta ter sido maioritariamente no exército, na GNR e na polícia”, revelou, frisando a importância da associação de fruticultores porque “hoje em dia os jovens agricultores podem fazer projetos muito interessantes e seguir essa área como profissão”.

A CPCJ, organizadora do evento teve também a colaboração do Gabinete de Apoio Profissional (GIP), que ajudou a convocar jovens desempregados do concelho para participarem num workshop específico de pró-atividade, que foi realizado pelo Instituto Português do Desporto e da Juventude.

 

, , ,