“Cidadão Participa” visa dinamizar Tarouca

Domingos Nascimento, presidente da Assembleia MunicipalDomingos Nascimento, presidente da Assembleia Municipal

Domingos Nascimento, presidente da Assembleia Municipal

Realizou-se, no dia 18 de junho, no auditório Audácio Pestana, em Tarouca, o concurso “Cidadão Participa”, que pretende “incentivar as pessoas a participarem nas dinâmicas do seu concelho e da sua região”.

O concurso “Cidadão Participa” fez parte da terceira edição do Congresso Cidadania Política, realizado no concelho de Tarouca, com organização da Assembleia Municipal. A competição tem como principal objetivo desafiar as instituições/associações do concelho de Tarouca a apresentarem projetos de desenvolvimento social, cultural, desportivo, recreativo, entre outros.

Na edição de 2016 estiveram a concurso cinco participantes, sendo que apenas aos primeiros três são atribuídos prémios. O primeiro prémio tem o valor de três mil euros, o segundo lugar arrecada mil e quinhentos euros para o seu projeto e, por último, quinhentos euros para o último lugar do pódio. Todos os projetos apresentados foram votados, por braço no ar, pelos cidadãos presentes no Congresso da Cidadania.

O principal objetivo do município tarouquense é envolver os cidadãos nas suas decisões e promover a participação das instituições na dinâmica autárquica. “São necessárias propostas e projetos que venham de encontro aquilo que são hoje as vivências e necessidades de um concelho”, revelou Valdemar Pereira, presidente da autarquia e um dos oradores do Congresso Cidadania Política.

O evento contou ainda com a presença do Comandante do Bombeiros Voluntários de Tarouca, Humberto Sarmento, que explicou o conceito de cidadania humanitária, preenchendo a sua apresentação com alguns exemplos do dia-a-dia dos bombeiros.

Domingos Nascimento, presidente da Assembleia Municipal, realçou que a iniciativa pretende “criar uma dinâmica que procura levar as pessoas à participação”. De acordo com o presidente da Assembleia Municipal, “o 25 de abril criou a possibilidade de termos liberdade, mas até agora, não nos permitiram criar cidadãos”, afirmou ao VivaDouro.

“Que os projectos sejam sempre ambiciosos, inovadores, que sejam uma mais-valia para o concelho e também que sejam vividas aqui novas experiencias e novas formas de saber estar na política que também é muito importante”, destacou Valdemar Pereira.

“Infelizmente as pessoas não têm consciência da realidade onde vivem e estão cada vez mais alheadas a essa realidade. Aquilo que nós queremos é motivá-las a participar”, contou Domingos Nascimento ao VivaDouro, salientando que “quanto mais cidadãos participarem, maior e melhor será o desenvolvimento desta região”.