A Cultura regressa a Sernancelhe com “Esperança”

No ano em que acontece a sexta edição, o Ser+Cultura teve que se adaptar a uma nova realida­de, cumprindo todos os requisi­tos para uma visita segura a Ser­nancelhe. Este evento assumirá apenas uma vertente expositiva ao ar livre, será alargado a toda a vila de Sernancelhe e terá a duração de cerca de dois meses, com início a 10 de julho.

O VivaDouro falou com o vereador Ar­mando Mateus que nos explicou como será efetuada a adaptação do Ser+Cul­tura este ano.

A pandemia da Covid-19 obrigou a uma remodelação da programação cultural do município de Sernancelhe para este ano. Que alterações foram feitas a essa programação?

Antes de mais devo afirmar que tem sido muito penoso e difícil para o mu­nicípio estar tão limitado nas questões dos programas culturais.

Obviamente que, sendo Sernancelhe uma marca, e sendo a Terra da Casta­nha uma imagem que tem ganho terri­tório e visitantes através da programa­ção cultural, consideramos que chegou o momento de apresentar alternativas neste setor.

Como tal, e pela impossibilidade de or­ganizarmos um Ser+Cultura na íntegra, que incluía diversos espetáculos em simultâneo, de música, teatro, exposi­ções, etc, aliados a uma forte vertente gastronómica, decidimos desafiar alguns colaboradores que trabalharam connos­co neste acontecimento, bem como a algumas associações e artistas plásticos, para criarmos uma exposição temáti­ca. A novidade passa por lhe dar visão de futuro, de esperança, neste período conturbado de pandemia, numa exposi­ção totalmente ao ar livre e numa área de implantação mais alargada, contem­plando nomeadamente o espaço envol­vente ao edifício dos Paços do Município e também a avenida das tílias.

Os centros lúdicos de Sernancelhe, de­senvolvidos pelo programa CLDS 4G, são um parceiro de destaque nesta ex­posição. Compostos por cerca de 300 elementos da população sénior do con­celho, e simultaneamente aquela com maior risco no contexto pandémico, propõem-se a elaborar manualmente peças em crochê, bastante coloridas, dando esse sinal de esperança e alegria, para revestirmos monumentos e todas as árvores da avenida das tílias.

Esta exposição tem ainda outro intui­to, que já estava presente na organiza­ção do Ser+Cultura, que é incentivar e impulsionar e dinamizar o comércio lo­cal do centro histórico. Ao alargarmos esta exposição e a sua área de traba­lho para toda a vila, também estamos a alargar esse mesmo conceito.

O propósito é este: uma exposição com o tema “Esperança” que venha trazer dinâmica ao nosso comércio, à hotelaria e à restauração e ao turismo em geral.

Como irão decorrer as diferentes ex­posições?

O ponto de partida será a loja intera­tiva de turismo, onde será disponibili­zado um mini guide com o itinerário, com a indicação dos pontos de expo­sição, com uma breve apresentação do artista ou associação, e dando a co­nhecer o conceito expositivo de cada instalação artística.

As exposições localizam-se nos luga­res já referenciados como a área en­volvente aos Paços do Concelho, pro­longando-se pela nova Avenida das Tílias, uma artéria bastante comercial e que foi recentemente requalificada, terminando no centro histórico com a envolvência dos seus monumentos, da biblioteca, do museu, fazendo com que o visitante ao passar e ao contem­plar estas exposições, possa também usufruir de uma esplanada para tomar um café, entrar num restaurante para fazer uma refeição ou adquirir algum artigo no nosso comércio local, dina­mizando desta forma o setor econó­mico.

No fundo esta exposição pretende não só atrair visitantes ao concelho mas também dinamizar o comércio local, numa altura de grande dificuldade?

Esse é o intuito. Esta exposição “espe­rança” pretende ser uma manifestação cultural, da qual estamos sedentos, trazendo os visitantes novamente até Sernancelhe, revitalizando assim o nosso comércio, a hotelaria e a restau­ração.

Esta exposição terá a presença de vá­rios artistas que têm trabalhado con­nosco ao longo das últimas 5 edições do Ser+Cultura, tendo todos eles algu­ma ligação ao nosso concelho, como é habitual neste evento.

Como o evento apresenta uma dura­ção de cerca de dois meses, e caso se verifiquem condições de estabilidade e segurança, podem ocorrer algumas reformulações como a promoção de pequenos espetáculos em esplanadas ou pequenos espaços. Por agora, face à realidade e aos condicionalismos, é isto que vamos organizar, uma expo­sição totalmente ao ar livre, com um itinerário definido onde as pessoas conseguem manter os espaços de se­gurança.

Sendo nesta fase uma questão impor­tante, a autarquia garante que estão reunidas todas as questões de segu­rança para quem se deslocar a Ser­nancelhe durante este período?

Uma das razões para que a seguran­ça esteja garantida é que o percurso se inicia na loja interativa de turismo, espaço homologado pelo Turismo de Portugal com o selo “Clean and Safe”, onde serão prestadas todas as infor­mações e indicações. Depois, em todos os pontos de paragem, serão disponi­bilizados dispositivos de higienização, bem como a sinalética que recomenda o uso obrigatório de máscara e a man­ter o distanciamento social.

,