Festival Oito Mãos, Monumentos com Música Dentro apresentado em Moncorvo

Foi apresentado, no passado dia 30 de julho, na Igreja Matriz de Torre de Moncorvo, o Festival Oito Mãos, Monumentos com Música Dentro, uma iniciativa que “visa criar raízes e a dar a conhecer o território da CIM Douro”, afirmou Nuno Gonçalves, autarca moncorvense.

Carlos Silva, presidente da Comunidade Intermunicipal do Douro afirmou, no seu discurso que os pilares fundamentais para o desenvolvimento do território são a cultura, a educação e o turismo.

“O Douro é vastíssimo em património natural, mas também é muito grande em património arquitetónico e daí que o espaço escolhido para a apresentação deste grande projeto cultural seja este monumento com dimensão”.

Carlos Silva salientou ainda que este festival pretende “juntar a cultura musical com a cultura que os nossos antepassados nos deixaram, que é todo este património que o Douro evidencia.”

Já o programador, Rui Fernandes, explicou o porquê do nome do festival “oito mãos” porque todos os grupos são em formação de quarteto e “monumentos com música dentro” porque os concertos são realizados em património classificado ou de interesse municipal. ”Este ano é a 4ª edição e aquela que é mais alargada porque são 19 municípios, 19 concertos e são 19 monumentos”, salientou.

Quanto aos tipos de música que vão marcar o festival “este ano vamos poder ver desde rock, blues, world music, jazz até à música erudita” afirma Rui Fernandes, sendo que o tipo de concerto é adaptado ao monumento em que se insere.

O programador referiu ainda que “não temos conhecimento na Europa que haja um festival só de quartetos e só destacando o património, daí que nós tão rapidamente recebemos essa distinção pela entidade EFFE, que é uma espécie de garantia do festival.”

No decorrer da apresentação teve ainda lugar a cerimónia de assinatura do contrato para aquisição dos serviços destes espetáculos.