FIIN regressa em novembro para a 3ª edição

O Festival Internacional de Imagem de Natureza (FIIN) é um projeto criado para a sensibilização da sociedade. Da conjugação entre as artes (cinema, fotografia, desenho) e o conhecimento, pretende fazer chegar a todos a mensagem de que devemos preservar o património natural do planeta, pelas razões que são sobejamente conhecidas.

“O FIIN é um festival das artes ligadas à natureza, abrange o desenho científico e o desenho de natureza, dando assim um contributo para a nossa academia, a fotografia, onde se incluem diversas categorias e as curtas-metragens da bio diversidade que foram o fator que mais potenciou este festival. Uma das grandes finalidades deste festival é promover, sensibilizar e potenciar a ligação das artes com a natureza”, afirma Mafalda Vaz de Carvalho, vereadora do município vila-realense, responsável pelo evento.

Organizado pelo município de Vila Real, o FINN inclui um Festival de Curtas-Metragens da Biodiversidade, o Encontro de Fotografia, exposições e ainda workshops.

“O tema deste ano são “retratos do mundo em mudança” porque se fala cada vez da alterações climáticas que tanto mudam o nosso meio e acabamos por ter a consciência que estes registos que recebemos ao longo destes anos serão muito importantes para memória futura”, explica a vereadora.

Numa era em que tanto se fala de alterações climáticas e as suas consequências, Mafalda Vaz de Carvalho vê este festival como uma chamada de alerta para o que pode acontecer caso não mudemos alguns dos nossos hábitos.

“Este festival tem a obrigação de mostrar ao mundo o que é que está em risco se não fizermos nada no sentido de minimizar as causas das alterações climáticas. É uma missão que temos, garantir que todos aqueles que tenham oportunidade de tomar uma posição relativamente ao mundo, neste caso em questões ambientais, que o façam em consciência. Estou convencida que neste campo, por mais que façamos, por mais que tomemos medidas, se falhar a consciência não adianta, cada um de nós tem um papel fundamental”.

À semelhança do sucedido em anos anteriores, também esta terceira edição trará uma novidade, no dia 24 de novembro, no Teatro de Vila Real serão exibidas, durante a tarde e noite, todas as curtas-metragens que foram a concurso, dando assim oportunidade ao público para as visualizar, podendo entrar e sair da sala em qualquer momento.

“Todos os anos tentamos trazer uma novidade, no ano passado criamos o Prémio Carvalho Araújo, este ano a novidade acontece no dia 24 de novembro e será o FIIN ALL, um dia aberto para as curtas-metragens, com estes trabalhos a serem exibidos no Teatro de Vila Real durante a tarde e noite sem interrupções e com entrada livre. Assim, quem quiser pode entrar, ver uma ou outra curta e sair, pode ver todos os trabalhos, como desejar”.

Outra das novidade desta edição é a realização de um passeio fotográfico, no Parque Corgo, na manhã do último dia do festival onde os participantes “terão a oportunidade de fotografar juntos dos fotógrafos convidados do evento e que estarão espalhados ao longo do percurso”.

O FIIN é também um festival educativo, anualmente, entre as curtas-metragens recebidas, são escolhidas as mais adequadas ao público em questão e levadas até às escolas do concelho.

Em janeiro arranca o FIIN itinerante, uma vertente inovadora deste festival que está disponível para ser requisitado por escolas e autarquias da região.

O FINN termina com uma gala, no teatro de Vila Real, durante a qual vão ser revelados os vencedores de todos os concursos organizados no âmbito do festival. Todo o programa é de acesso livre.

, ,