Manuel Freire abre programação cultural do Município

O primeiro momento da programação cultural do Município no novo ciclo autárquico levará Manuel Freire, um dos grandes cantautores e baladeiros portugueses, a Moimenta da Beira.

Freire musicou e cantou a ária que se tornou num hino à liberdade, num canto inocente que materializou um desígnio particular, num tempo particular de Portugal, mas que poderia ter sido ajustada a quaisquer outras conjunturas, noutro tempo e noutra latitude, Pedra Filosofal.

A letra da canção foi escrita por António Gedeão em 1956 e apresentada por Manuel Freire em 1969 no “Zip-Zip”, um programa de televisão que vivia ainda a quimera de um novo tempo e no qual muito do que não deveria ser permitido foi tolerado.

Manuel Freire vai estar em Moimenta da Beira na próxima sexta-feira, 19 de novembro, para uma Tertúlia Musical, na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro. Um espetáculo intimista de revelação de momentos, de convivialidade e de entretenimento com sentido e de partilha de saberes com o público presente. Tudo no meio de canções e de recitais de poesia.

Freire nasceu em Vagos, a 25 de abril de 1942, e é uma das figuras de proa de uma geração de músicos de intervenção que cantou a Revolução dos Cravos. Conviveu com Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Luís Cília, Brigada Victor Jara, José Jorge Letria, Vitorino e tantos outros. A 9 de Junho de 1995 Mário Soares fê-lo Oficial da Ordem da Liberdade.

A Tertúlia Musical tem a colaboração da Cadeira Amarela, de Viseu, uma das agências mais prolíficas no agenciamento de projetos da nova música feita em Portugal.

,