Município da Pesqueira organiza melhor Vindouro de sempre

A 17ª Vindouro trouxe algumas novidades, desde logo a mudança de local, mas o sucesso deste evento fica marcado pelos milhares de visitantes que se deslocaram a São João da Pesqueira para mais uma festa Pombalina.

O local é novo, a festa pombalina deixou o centro da vila e instalou-se no recém inagurado largo da feira, permitindo desde logo uma maior fluidez dos visitantes pelos diferentes espaços.

Com uma forte ligação ao setor vinícola, neste evento cabem ainda outros produtos típicos da região como é o caso do azeite, dos frutos secos e do mel, entre outros, muita animação e história.

“Nunca esquecendo que o Douro e o concelho de S. João da Pesqueira vive também de outros produtos, como o azeite, a amêndoa ou a maçã, a atenção especial neste certame vai, evidentemente, para o vinho, e este evento pretende divulgar, promover e valorizar a viticultura e os vinhos da região do douro, a sua qualidade, as suas particularidades, bem como todas as actividades económicas relacionadas”, afirmou o autarca pesqueirense, Manuel Cordeiro, durante o seu discurso inaugural.

“Aqui celebramos o Vinho do Douro, a sua História e a figura central do Marquês de Pombal, não apenas porque, por S. João da Pesqueira passou algum tempo na sua juventude, mas essencialmente porque Marquês de Pombal foi, como se sabe, o grande responsável em 1756 pela criação da RDD, a primeira região demarcada do mundo, com códigos e regras de exploração agrícola e comercial pioneiras, que, aliás, no século seguinte, influenciaram os franceses e, depois, o resto do mundo vitícola”.

Aproveitando a presença do Ministro da Economia na inauguração do certame, o autarca aproveitou para lhe pedir mais apoio para o interior, à sua atividade económica e às suas gentes.

“Sr. Ministro há de facto uma necessidade urgente de valorizar estes produtos, o vinho, os frutos secos, o azeite, a maça, com elevadíssimos custos de produção e baixa produtividade porque em região de montanha, e, nestas circunstâncias, ou o produto reflecte esses custos ou a tendência para a desistência é um passo. É unânime, a excelência dos nossos produtos, e os preços devem reflectir essa qualidade, como aliás acontece com outras regiões europeias.

Aqui no Douro Sr. Ministro da Economia há muita margem para crescimento, mas há condições que só o nível governamental pode proporcionar, apoiando ainda mais estas iniciativas, estes investimentos, as acessibilidades, e, podendo ser o Rio Douro a porta de entrada desses fluxos, o investimento na Linha do Douro, com a ligação a Espanha, seria estruturante e desbloqueador de todo este processo de desenvolvimento económico e social desta região.

O resultado Sr. Ministro da aposta que o Governo possa fazer no Douro, com enormíssima margem de crescimento, não trará apenas melhores condições de vida às pessoas e às empresas do Douro, mas seguramente muitos e bons resultados para a economia do nosso país”.

Ao longo dos três dias foram milhares os visitantes que passaram pela festa Pombalina, fosse para provar os vinhos da região, para visitar a mostra de produtos locais e artesanais, ou para dar alegria aos diferentes momentos lúdicos como o cortejo pombalino ou os concertos de Diogo Piçarra e Raquel Tavares.

Entre os dias 7 e 9 de setembro, São João da Pesqueira foi o centro do Douro, levando a autarquia a congratular-se com o sucesso do evento, deixando a garantia que a Vindouro será, cada vez mais, uma festa da região para o Mundo.

“Quando decidimos pela mudança de local e por algumas outras alterações que fizemos, foi porque acreditamos que ia correr bem. No final o balanço é que mesmo assim as nossas expectativas foram superadas.

Sendo uma festa com entrada livre e onde as pessoas circulam bastante, é difícil contabilizar o número de pessoas que terá passado pelo evento mas, por exemplo, a equipa do Diogo Piçarra disse-nos que só no concerto terão estado cerca de 5 mil pessoas e muita outras estavam nas provas de vinhos ou em outra atividade, e isto só naquele momento, por isso é difícil contabilizar”, afirmou Manuel Cordeiro em declarações ao VivaDouro.

Sobre as mudanças operadas, o autarca afirma que as mesmas são para manter devendo ainda ser possível melhorar alguns dos aspetos menos positivos desta edição.

“Esta mudança é sem dúvida para manter. O sucesso deste evento resultou, do meu ponto de vista, da publicidade que foi feita antecipadamente, da forma como organizamos o evento e os artistas que tiveram presentes. Vamos manter esta estrutura tratando de melhorar alguns aspetos menos positivos que detetamos este ano. É demasiado presunçoso, da minha parte, dizer que esta foi a melhor edição de sempre mas efetivamente tem sido essa a mensagem que as pessoas me têm feito chegar.

Da parte dos expositores, em especial os produtores de vinhos com quem já tive oportunidade de falar, o balanço que fazem é também bastante positivo, mesmo aqueles que estavam um pouco relutantes quanto à mudança de local”.

De destacar nesta edição é ainda a presença do Ministro da Economia e do Presidente da República. Manuel Cordeiro admite que foi feito um grande esforço para que ambos estivessem na Vindouro e acredita que a sua presença ajudou a transmitir a mensagem de que no interior, em territórios de menor densidade também se faz bem.

“Não foi fácil trazer o Presidente e o Ministro, foi necessária muita persistência e alguma ajuda. No que diz respeito ao Presidente, posso revelar isso, foi muita pressão minha, sabíamos que estava com uma agenda muito preenchida, antes de vir aqui ainda esteve no Porto e quando saiu daqui ainda foi apanhar o avião a Viseu para Lisboa. Apelei de facto á sua sensibilidade quanto a estes territórios e à importância da sua visita até para atrair atenções para este território. No caso do Ministro foi endereçado o convite e foram também feitos alguns contactos para que pudesse estar presente.

Os dois saíram daqui com uma imagem muito positiva e muito bem impressionados. O Presidente tinha-me pedido para não jantar, que seria apenas uma visita contudo acabou por se sentar e acabamos por ficar até perto da uma da manhã a confraternizar”.

Na conversa com o nosso jornal, o autarca pesqueirense quis ainda sublinhar que parte do sucesso deste evento se deveu à entrega dos funcionários da autarquia que a ele se dedicaram de alma e coração.

Houve muita dedicação e muito empenho por parte da maioria dos funcionários da câmara, uns mais visivelmente, outros de forma mais indireta, fazendo aquele trabalho que não se vê, e esse foi também um fator decisivo no sucesso deste evento.

Quisemos fazer o melhor com o menor gasto possível. Neste momento ainda não temos o resultado final mas posso afirmar que organizamos a melhor Vindouro de sempre e gastamos sensivelmente o mesmo que foi gasto em anos anteriores.

O melhor retorno que temos é o orgulho que as pessoas sentem. Muita gente nos diz que agora se sente mais orgulhosa da sua terra, e isso é o maior retorno que podemos ter. Neste tipo de eventos a autarquia não aposta no retorno financeiro mas na promoção do concelho que é feita e aí considero que foi um retorno bastante positivo.

A nossa intenção principal era a de promovermos o nosso território e os nossos produtos, mostrar que em São João da Pesqueira há qualidade e esse objetivo, acredito, foi plenamente atingido.

Marcelo Rebelo de Sousa

“É fundamental o abraço que eu recebo das pessoas. O Presidente deve estar próximo das pessoas mas também precisa que as pessoas estejam próximas dele. Isto é, sentirem-se à vontade para falarem dos seus problemas, das angustias, das aspirações, das suas alegrias e tristezas. Nestes momentos de festa como é esta festa Pombalina, as pessoas manifestam todo o seu calor e, o que mais de admira aqui na Vindouro, é, por um lado a multidão que aqui está, um lado muito popular, muito genuíno, muito vivo.

É impressionante que as pessoas vêm de todas as freguesias para se juntarem nesta festa, é a grande festa do ano. Por outro lado essas pessoas trazem também outras pessoas de fora, há gente que vem de outros municípios em volta para esta festa.

Eu sei que alguns presidentes de câmara do Douro Sul ficaram muito tristes porque já me formularam convites para visitar algumas unidades de saúde e eu achei que não devia criar problemas no relacionamento com o governo e também por uma questão de impossibilidade de calendário mas irei visitar esses municípios.

Para o presidente é fundamental essa sensação de mergulhar nas raízes destas gentes, contactar com elas, perceber como reagem, o esforço que fazem para produzir um bom vinho, para manter empresas a funcionar, para vir aqui “feirar” e vemos por aqui também muita gente nova.

É um privilégio estar aqui, em especial com tanta gente nova, o meu medo era chegar aqui e ver um publico maioritariamente idoso mas não, encontrei gente nova, o que quer dizer que há gente nova que fica, há gente nova que vem para aqui, há gente nova que aposta neste município e nesta região. E isso é uma alegria para um Presidente que está preocupado com os vários “portugais” interiores, que são muitas vezes ignorados e menosprezados pelo Portugal metropolitano”.

Manuel Caldeira Cabral – Ministro da Economia

“Uma imagem positiva de um conjunto de atividades económicas que estão a prosperar, não só os vinhos mas também os frutos secos, o mel e tantas outras.

Quanto ao vinho que é uma das atividades centrais desta região, tivemos no ano passado um ano de recordes nas exportações, foi um ano muito bom. Este ano está a ser um pouco mais complicado mas o que vemos são projetos muito sólidos, não só em termos de qualidade de produção, porque isso já existe na região há muitos anos, mas também em termos de imagem e marketing, o que é muito relevante.

Visitei aqui diversos projetos de quintas que apostaram no enoturismo, essa tem sido uma aposta nossa também através do Turismo de Portugal. Para valorizar os produtos temos que trazer cá as pessoas e para trazer cá as pessoas temos que valorizar o produto, o turismo é uma atividade que valoriza os produtos desta região e os produtos que aqui encontramos são o ponto de atração turística. É por isso que fico muito contente de ver aqui projetos de enoturismo já bem consolidados, muito profissionais e genuínos.

O turismo tem uma capacidade muito grande de criar emprego na região, de criar valor e esta valorização externa da região através do turismo e da excelência dos produtos, devem ser a grande aposta.

O governo através do Turismo de Portugal e do programa Valorizar tem mostrado vontade nessa aposta e é isso que vamos continuar a fazer, por isso é um gosto ver aqui a mobilização que há nesta região.

Estes eventos são muito importantes porque ligam os produtos às suas origens, depois têm uma vertente de animação que atrai as pessoas de toda a região, esta festa é para as pessoas de São João da Pesqueira mas também para todos aqueles que vêm de fora que encontram aqui uma experiência única de história, de produtos, de festa e animação. Estas feiras são muito importantes para a valorização da região e para a sua afirmação fora das suas fronteiras”.

João Monteiro – expositor – Quinta do Beijo

Nós sendo uma pequena/média empresa temos que nos dar a conhecer ao mercado e estar presente numa feira desta dimensão as pessoas podem conhecer-nos. Não podemos só viver das grandes feiras nacionais e internacionais. Na nossa família consideramos que estas pequenas feiras são muito importantes. Gostamos de conhecer o nosso cliente, o nosso produto é algo que convida à união familiar, à partilha e estas feiras permitem esse contacto mais próximo.

Tem corrido muito bem, em especial agora durante o fim de semana, as pessoas vêm com mais calma, em família e tem sido uma ótima experiência para nós.

António Lamas – expositor – Quinta das Bajancas

Somos da freguesia de Trevões, por isso para nós estar na Vindouro é muito importante. Este ano mudou muita coisa mas considero que foi para melhor, a câmara está de parabéns porque transformou completamente a Vindouro.

Aqui o nosso objetivo é dar a nossa marca a conhecer em especial para a distribuição e restauração que é o mercado em que apostamos.

Viu-se aqui muita gente durante estes dias, espero que no futuro mais produtores se queiram juntar a este evento porque é realmente importante.

, , ,