Museus do Norte com crescimento de 6,1% em 2017

Os museus e monumentos tutelados pela Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) registaram uma subida de 6,1% em 2017, relativamente ao ano anterior, sendo o Museu de Lamego o que registou maior crescimento.

Em 2017, ano em que celebrou o seu centenário, o Museu de Lamego recebeu cerca de 48 mil visitantes, mais 61% do que os registados em 2016. Este foi o maior aumento de entradas registado no conjunto de museus e monumentos tutelados pela Direção Regional de Cultura do Norte que, no seu total, registou um aumento de 6,1% relativamente ao período homólogo.

“Desde 2013, já se registaram cerca de 2,7 milhões de visitantes no conjunto museológico composto pelo Museu de Lamego, Museu dos Biscainhos e Museu D. Diogo de Sousa (Braga), Paço dos Duques e Museu de Alberto Sampaio (Guimarães), Museu da Terra de Miranda (Miranda do Douro) e Museu do Abade de Baçal (Bragança)”, especifica a Direção regional em comunicado.

O comunicado revela ainda que, “se a estes resultados se somarem os registos de entradas nos principais monumentos geridos pela DRCN, constata-se um valor próximo dos 5 milhões de visitantes, sendo de destacar a posição de relevo ocupada pelo Paço dos Duques de Bragança, em Guimarães, que nos últimos cinco anos registou mais de 1,5 milhões de entradas”.

No que diz respeito ao crescimento de 61% registado em Lamego, a nota sublinha que essa “subida bastante expressiva, é justificada, não só mas também, pela afluência de público às iniciativas promovidas ao longo do ano para comemorar o Centenário do Museu de Lamego”.

Para o diretor do Museu de Lamego, Luís Sebastian, o crescimento do número de visitantes no espaço que coordena é o resultado de um trabalho que não se cinge apenas ao ano 2017.”É uma estratégia que foi definida há cinco anos de ter um plano de atividades ambicioso, repleto de eventos”, diz.

Entre exposições temporárias, ciclos de cinema, fotografia e conferências, Luís Sebastian adianta que o museu tem uma média de 60 eventos por ano e que na diversidade é que está o ganho. “Apostamos também em workshops, em exposições fora do nosso espaço quer em Portugal quer noutros países”, refere.

Luís Sebastian admite que a presença no meio digital é uma ferramenta fundamental para atrair público para os museus “Temos também uma comunicação online muito dinâmica e uma estratégia de publicação bastante ambiciosa com várias publicações online que têm tido uma enorme aceitação pelo mercado nacional e estrangeiro”, afirma.

Na perspetiva do diretor as entidades culturais devem aproveitar o crescimento do turismo para desenvolverem os seus produtos e aumentarem a sua visibilidade. “Os números (de visitantes em museus e monumentos), nos últimos anos têm vindo a aumentar, sobretudo nas zonas do país com maior aumento de turismo. Por isso, os museus apanham também um pouco esta dinâmica que o turismo em Portugal tem vindo, felizmente, a criar”, conclui.

Considerando esta evolução como “extremamente positiva”, António Ponte, diretor regional de Cultura do Norte, explica que o crescimento verificado nos últimos anos se deve “a um reforço da estratégia de trabalho articulado e em rede por todo o território, onde tem vindo a desenvolver uma política descentralizadora de investimentos, envolvendo os agentes culturais e autarquias locais na prossecução de um esforço comum de salvaguarda, preservação e divulgação do Património a Norte”.

Por outro lado, salienta o diretor regional de Cultura do Norte, têm sido desenvolvidos “vários projetos de conservação e restauro do património edificado, visando assegurar a proteção e valorização dos edifícios, sempre com o objetivo de os devolver às comunidades a que pertencem, com novos modelos de fruição pública”.

São testemunho das várias atividades e projetos, a Rota das Catedrais a Norte ou o espaço Património a Norte (localizado no Mosteiro da Serra do Pilar, em Gaia), cujo objetivo é incrementar o aumento do número de visitantes através da recuperação e salvaguarda do património, mas também da abertura de novos canais de informação e divulgação fundamentais para atrair novos visitantes.