Noites de lua cheia levam teatro a aldeia de Vila Real

O espetáculo “Fogo” da companhia Trigo Limpo – Teatro ACERT é apresentado hoje, na aldeia de Coêdo, Vila Real, no âmbito da iniciativa “Lua Cheia Arte na Aldeia” que coloca a arte em diálogo com a comunidade rural.

O projeto “Lua Cheia Arte na Aldeia” é uma iniciativa da companhia Peripécia Teatro que se realiza naquela aldeia de Vila Real desde 2014.

No âmbito da programação para 2018, realiza-se hoje o espetáculo “Fogo”, que é apresentado um ano depois dos incêndios que lavraram em Coêdo e em outras aldeias da freguesia de Adoufe.

“O fogo é o mote para um espetáculo quente e animado. Um espetáculo cómico e musical que procura exorcizar o medo e jogar com a riqueza de significados da palavra e das emoções nela contidas”, descreveram os criadores do Trigo Limpo – Teatro da Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT).

Trata-se de uma companhia de Tondela, concelho também afetado pelos incêndios de outubro do ano passado.

A Peripécia referiu, em comunicado, que a iniciativa “Lua Cheia Arte na Aldeia” surge na necessidade da companhia em se abrir à sua comunidade local. A companhia tem sede na antiga escola primária de Côedo.

O objetivo é, explicou, completar a sua presença diária na aldeia através de uma “abertura franca, construtiva e positiva, fazendo que a arte se respire no dia-a-dia da aldeia”.

Nesse sentido, “não há lugar à venda convencional de bilhetes” e o “público é convidado a levar o farnel, com comida e bebida, e em troca é-lhe permitido o acesso ao espetáculo”.

Até dezembro, em todas as noites de lua cheia, além do espetáculo, existem duas atividades complementares.

Após o espetáculo acontece uma tertúlia com os artistas intervenientes, onde artistas e público são convidados a trocar impressões sobre a proposta apresentada, mediada por um elemento da equipa.

E, depois da tertúlia, tem lugar a confraternização entre todas as pessoas presentes à volta da merenda, onde se partilha o farnel.

A Peripécia revelou que esta temporada traz novidades a nível de residências artísticas, com destaque para as artes visuais com os artistas Vitor Pi e Jorge Marinho, e ainda workshops.

No dia 26 de agosto, o Teatro das Beiras apresenta o espetáculo “Do princípio ao fim” e, nesse dia, realiza-se ainda um workshop de aromaterapia.

A 25 de setembro a Peripécia apresenta o trabalho “Fala-me a contar”, título ainda provisório para a nova produção, e, a 24 de outubro o Projeto Ruínas protagoniza o espetáculo “Dança”.

A 24 de novembro a Peripécia apresenta “La Tortilla de mi Madre” e a 22 de dezembro o Teatro Regional da Serra de Montemuro interpreta “À espera que volte” e realiza-se ainda o ‘workshop’ “Como se faz o pão-de-ló à antiga”.

,