Novo polo cultural nasce na antiga Casa da Câmara de Lamego

0
Novo polo cultural nasce na antiga Casa da Câmara de Lamego

A revitalização do Bairro do Castelo de Lamego está a ser reforçada com a reabilitação da Torre dos Figos, com o objetivo de fixar moradores e atrair novas pessoas e atividades ao núcleo mais antigo da cidade, criando um novo polo de dinamização cultural e turística.

“Este investimento municipal integra um processo de regeneração mais abrangente, iniciado em 2007, com o projeto “Viver Lamego” e as parcerias para a regeneração urbana, que trouxeram uma nova vida à cidade, a nível paisagístico e urbanístico”, sublinha Francisco Lopes, Presidente da Câmara Municipal.

O projeto de regeneração urbana “Viver Lamego” imprimiu uma nova dinâmica cultural e social ao Bairro do Castelo, na sequência da reabilitação de vários edifícios de elevada qualidade patrimonial. Mereceram particular atenção o Castelo e a Cisterna, dois monumentos nacionais, e o Núcleo Arqueológico da Porta dos Figos que constituem o Centro Interpretativo de Lamego, um museu polinucleado que conta as diversas histórias da multimilenar cidade de Lamego que ganhará em breve um novo polo quando abrir portas a Torre dos Figos.

“A realização de uma reunião de câmara que juntará, simbolicamente, os membros eleitos pelos lamecenses à Câmara Municipal será o primeiro ato a decorrer neste novo espaço de valorização do nosso património histórico”, anuncia Francisco Lopes.

Localizado entre o Núcleo Arqueológico da Porta dos Figos e a antiga Padaria do Cantinho, sede do Grupo 49 dos Escoteiros, edifícios reabilitados no âmbito do “Viver Lamego”, a Torre dos Figos teve historicamente diversas utilidades. Foi Torre Militar Albarrã e, posteriormente, foi Casa da Câmara, entre o séc. XIV e o séc. XIX.

Tendo em conta o seu elevado valor patrimonial, o projeto de arquitetura vai recuperar e regenerar a sua estrutura, fazendo a passagem do uso militar para o uso cívico. Mais acima, outra intervenção do Município de Lamego está a reabilitar a antiga Casa do Horto, um edifício até há bem pouco tempo também votado ao abandono.

Adjudicada à firma “ATWAAL”, a reabilitação da Torre dos Figos é concretizada no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), cofinanciado em 85% pelo FEDER, num investimento superior a 381 mil euros.