Pintura de Joseph Vernet enriquece acervo do Museu de Lamego

A partir de hoje, um óleo sobre tela, atribuído a Claude-Joseph Vernet, um dos mais interessantes paisagistas franceses do século XVIII, passa a enriquecer o núcleo de pintura estrangeira do Museu de Lamego.

A integração da obra “Vista de Spoleto” no percurso expositivo desta instituição concretiza-se no âmbito da iniciativa do “Novo Banco Cultura” de disponibilizar ao público o seu património artístico e cultural, através de parcerias com museus.

A cerimónia de assinatura do protocolo de cedência celebrado entre esta instituição bancária e a Direção Regional de Cultura do Norte foi presidida pela secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, que referiu que é intenção do governo “tornar a arte cada vez mais visível e visitável”.

Presente neste ato oficial, o Presidente da Câmara Municipal de Lamego, Ângelo Moura, congratulou-se com a dinâmica cultural evidenciada pelo Museu de Lamego e afirmou que esta ação vai valorizar ainda mais o seu acervo, “que já ombreia com muitos museus nacionais”. No discurso que proferiu durante a cerimónia, elogiou ainda a função social do Novo Banco de preservar, promover e partilhar com a sociedade portuguesa o seu relevante património artístico e afirmou que constitui uma oportunidade de fomentar o diálogo com a comunidade.

A pintura agora doada ao Museu de Lamego, uma importante referência no panorama da cultura portuguesa, representa uma vista de Spoleto, na Umbria, a cerca de 100 quilómetros a norte de Roma. Nas suas paisagens, Joseph Vernet conjuga a natureza, a história e a narrativa, conseguindo uma obra plural nas evocações iconográficas e emotivas.

,