Prémio “António Cabral” entregue em Alijó

Homem da cultura e das letras, António Cabral, natural de Castedo do Douro, Alijó, faleceu há 10 anos deixando um legado de textos e intervenção sociocultural que é parte importante da cultura da região.

O prémio com o seu nome tem um valor de cinco mil euros e distinguiu, este ano, a obra “Sublimação da Matéria”, do escritor Nuno de Figueiredo, que concorreu com o pseudónimo A.C.D’Ouro.

Segundo as palavras do jurí, “o livro selecionado é um espaço de intimidade que escolhe dar conta da precariedade da vida, do fluir das estações, da presença da morte, da busca da palavra poética” e a “simplicidade do estilo encontra-se aqui ao serviço do fulgor imagético que define cada um dos poemas”.

A data serviu ainda para a apresentação de um “In Memoriam” de António Cabral, reunindo cerca de três dezenas de testemunhos de pessoas que conviveram de perto com o escritor duriense.

Para Alzira Cabral, o seu marido “era um homem de causas a que se dedicava entusiasticamente de forma desprendida”, explicou no decorrer da cerimónia no Auditório da Biblioteca Municipal Dr. Júlio Teixeira.

,