S. João é “festa maior” do município

Com um cartaz repleto de atividades, que se estendem por quase todo o mês de junho, Tabuaço celebra o S. João com muita cor e animação. O VivaDouro falou com Carlos Carvalho, autarca tabuacense acerca desta celebração.

Com um cartaz que se estende por quase todo o mês de junho, o que tem este ano o município preparado para a celebração do S. João?

À semelhança daquilo que já aconteceu em anos anteriores, esta é a nossa festa maior, são as festas do concelho.

Esta celebração conta com alguns momentos altos como é o caso da Marcha Luminosa, que acontece no dia 23 e a cerimónia religiosa que acontece no dia seguinte, 24 de junho.

Como também temos a tradição, em Tabuaço, de festejar o S. Pedro estendemos a programação para que essa celebração entre neste cartaz, dando assim oportunidade à nossa população de se manter ativa e ocupada.

Esta é uma festa um bocadinho diferente de outras festas até porque se realiza na rua o que acaba por nos causar alguns constrangimentos por causa do espaço mas dá-lhe uma envolvência diferente do que por vezes vemos acontecer em outros locais.

Neste evento participam diversas atividades, entre elas está a restauração, por exemplo, e para nós é importante que quem nos visite perceba esta dinâmica ao longo de mais tempo.

Este ano, também a pedido de algumas associações locais, acabamos por enquadrar todos os eventos que se realizam durante o mês de junho neste cartaz de S. João. Sendo que os dias mais importantes são entre o 21 e o 30 de junho, acabamos por ter uma série de atividades associadas durante quase todo o mês, desde o passeio equestre que se realiza no início do mês até a uma prova de triatlo ou ainda a prova de perícia automóvel que este ano coincide com o dia da Marcha Luminosa.

Estes eventos são importantes até porque atraem sempre muita gente, desde os participante aqueles que vêm assistir, aproveitando depois para se divertir um pouco.

Há também alguns momentos que saem um pouco fora desta celebração mais pagã, como é o exemplo de uma apresentação de curtas metragens, que acontece dia 21, onde o nosso grupo de teatro amador, o Teatraço, à semelhança do que já aconteceu com outro filme, participou. A anteceder esta apresentação teremos ainda um espetáculo dos Sons do Douro.

Para além de este ser um momento importante para todos os habitantes do nosso concelho, é também importante para que consigamos atrair alguns turistas que andam na nossa região durante estes dias, sendo que, há sempre uma grande dificuldade de o S. João ser uma festa celebrada em vários outros concelhos da nossa região.

Sente que há uma dispersão do público por todos esses eventos?

Não é apenas isso, é também o facto de assim ser difícil que consigamos aproveitar os programas de outros concelhos mas, esta é a tradição. Culturalmente é esta forma como as coisas são feitas.

O público é que acaba por ser o mais afetado porque com esta multiplicação de celebrações é difícil que, por exemplo, os tabuacenses vão até um concelho vizinho para esta celebração e vice-versa. É uma pena mas é esta a nossa realidade.

Referiu que foi a pedido de algumas associações que a celebração este ano se estende por um período mais alargado. Para a autarquia esse envolvimento das associações é importante?

Claro que sim, cada vez mais. Em Tabuaço as festas do concelho são organizadas pela autarquia mas, em todas as atividades, o movimento associativo e as juntas de freguesia são fundamentais.

Por exemplo, no caso do S. João, a Marcha Luminosa é constituída pelos grupos das diferentes aldeias, há também a presença de todos os padroeiros de todas as aldeias nas celebrações religiosas. Mesmo toda a parte das comidas e bebidas é da responsabilidade das diferentes associações.

Apesar de hoje sermos cada vez menos, se não houver esta força associativa, que muitas vezes é o que nos faz andar para a frente, seria muito difícil levar uma celebração destas a bom porto.

Para as associações também é importante esta participação porque lhes permite ter mais visibilidade nas atividades que organizam, ou seja, há aqui um casamento perfeito.

Esta participação está centrada nas associações do concelho ou é permitida a participação a outras de fora do território de Tabuaço?

A participação nas marchas está restrita apenas às associações do nosso concelho. Fora essa restrição recebemos todos quantos se queiram associar aos nossos eventos.

Cada vez mais as barreiras administrativas e os limites geográficos deixam de fazer sentido. Se alguém de Armamar, por exemplo, quiser participar no S. João de Tabuaço, ou vice-versa, parece-me que existe essa abertura.

Cada vez mais temos a noção que o nosso território é limitado daquela forma mas essas barreiras, no aspeto mental e cultural vão sendo quebradas, e isso é muito bom porque podemos partilhar entre nós aquilo que cada um de nós tem de melhor.

Mesmo aquela rede de associações que tem sido falada na nossa região é fundamental porque, do meu ponto de vista, parece-me que conseguimos ter produções culturais e recreativas de extrema qualidade com aquilo que é a prata da casa e nós por vezes não temos a noção daquilo que existe no concelho ao nosso lado. Há uma oferta mito grande que nós, infelizmente, não aproveitamos, e a custos incomparavelmente mais baixos do que estarmos a contratar um artista de dimensão nacional, e criando uma nova sustentabilidade cultural na região.

Contratar um artista com nome é fácil ter uma praça cheia mas no final do espetáculo cada pessoa vai para sua casa e a festa acabou. Se, por outro lado, houver esta rotatividade cultural, vamos criar hábitos e se, por exemplo, no S. João houver um grupo de Moncorvo a participar, certamente que alguns moncorvenses virão até ao nosso concelho.

Parece-me que esta é uma aposta de futuro, permitindo também que o trabalho das nossa associações seja reconhecido fora de portas.

Se lhe pedirmos para eleger um ponto alto destas celebrações, que ponto destacaria?

Para nós a Marcha Luminosa e procissão no dia 24 são, sem dúvida os momentos mais importantes para nós.

O falecimento de um tabuacense de renome este ano, como Joaquim Macedo, que era um piloto renomado, e a importância que o automobilismo tem na nossa região, dão um peso maior à prova de perícia que este ano terá o seu nome associado a essa figura.

Estes são os momentos mais importantes sendo que depois, todos os momentos que envolvem em especial a participação das crianças do concelho, são momentos de excelência para nós, permitindo que se consiga perceber a qualidade daquilo que se faz nas nossas terras e que tantas vezes nos passa ao lado.

Para finalizar pedimos-lhe uma mensagem a todos aqueles que pensem ir até Tabuaço estes dias e aos tabuacenses.

No fundo é convidá-los a todos a usufruírem e desfrutarem destes dias de festa. O S. João faz parte daquilo que é o imaginário cultural e emocional da nossa população.

Que durantes estes dias consigamos esquecer o que de menos bom vamos vivendo ao longo do ano e que nos consigamos divertir, deixando um convite a todos para que visitem Tabuaço.

, ,