Teatro de Vila Real recebe “Vestígio”

Criado por encomenda dos Teatros Municipais de Bragança e Vila Real, no âmbito do projeto Algures a Nordeste, o espetáculo de dança “Vestígio” é uma viagem a Trás-os-Montes através da obra de Georges Dussaud.

Tal como Miguel Torga regista, na obra de Dussaud “há uma infinidade e afinidade de lugares e tradições, de pessoas e atmosferas, de cenas de trabalho e de afetos, de gestos e de rostos, de romarias e rituais, de incontáveis histórias ancestrais, universos miraculosamente intactos que pareciam subsistir”, segundo o poeta, “à espera de uma objetiva que os perpetuasse antes que desaparecessem de vez na voragem do progresso”.

Coreografado por Joana Providência, este trabalho conjuga atores e bailarinos num mergulho no universo do fotógrafo e transporta o público para o pulsar da vida, para os rituais e para as paisagens que habitam a sua obra. O projeto será um constante diálogo entre a imagem projetada e a sua relação com os intérpretes numa espécie de contracena, promovendo uma forte ligação onde a fotografia e os corpos se prolongam, diluem e desdobram num sem fim de leituras.

A apresentação de “Vestígio” acontece em duas sessões, a primeira no dia 3 de novembro, às 14h30 (destinado à comunidade escolar), e a segunda no dia 4, às 21h30 para o público em geral, ambas são de entrada livre.

Do projeto fazem ainda parte dois workshops que terão lugar no dia 31 de outubro, às 11h00 e às 14h30.

30

,