D. Manuel Martins publica livro intitulado “Cantar a Vida”

"Cantar a Vida", livro de D. Manuel Martins

“Cantar a Vida”, livro de D. Manuel Martins

No dia 12 de novembro, realizou-se a apresentação do livro “Cantar a Vida: Homilias de um Bispo de todos e para todos”, escrito por D. Manuel Martins, primeiro bispo de Setúbal. A cerimónia realizou-se no auditório da Paróquia de Almacave, em Lamego.

Na apresentação do livro de D. Manuel Martins, estiveram presentes na mesa principal a Irmã Eliete, em representação da Paulinas Editora, D. Manuel Martins, autor do livro, Jacinto Botelho, representado o Bispo de Lamego, que não pôde estar presente e o padre Marco Luís, o coordenador da obra.

O padre Marco Luís, coordenador desta edição, foi a pessoa que reuniu as homilias do Bispo e, achando os papéis de tamanha importância, resolveu editar o livro. O padre afirmou que “esta é uma obra incrível e, apesar de alguns contratempos, acreditámos sempre que era possível e assim aconteceu”. Segundo o pároco Marco Luís, este livro nasce com a necessidade de festejar a vida, sendo por isso o título uma expressão muito típica e utilizada por D. Manuel Martins, “Cantar a Vida”. Com homilias escritas em papel, há muitos anos pelo autor, foi necessário digitalizá-las e fazer uma seleção, “algo que não foi fácil”, confessou o padre lamecense.

A primeira apresentação do livro foi realizada em Setúbal, diocese na qual D. Manuel Martins foi o primeiro Bispo. A apresentação da obra em Lamego surge devido à afetividade que o Bispo demonstra pela cidade, o padre Marco Luís revela que “a relação de D. Manuel Martins com esta diocese é muito vasta, rica, também muito longa e muito forte. Por isso faz sentido esta presença”. O Bispo confessou que “o conhecimento e a amizade” que adquiriu na cidade, ficou consigo para sempre.

D. Manuel Martins contou um pouco a história de algumas das homilias do livro, descrevendo também a sua passagem por Setúbal e a experiência de ter sido o primeiro Bispo da diocese.

O Bispo afirma que “um Bispo é um homem de fé e essa fé tem que ser transmitida nos seus atos, pensamentos, na sua maneira de ser. Eu defendo que não há ninguém que não tenha fé dentro de si, no momento certo, a fé aparecerá a cada pessoa”.

“É um livro que me faz bem e que fará bem a todos nós”, concluiu o padre Marco Luís.

 

 

, , ,