Meia Maratona apresentada com novidades

A 14ª edição da Meia Maratona do Douro está apresentada e este ano apresenta algumas novidades, com destaque para a prova cronometrada dos 6 quilómetros e a nova imagem do evento.

A apresentação daquela que é conhecida como “A Mais Bela Corrida do Mundo”, aconteceu no edifício da APDL, na cidade da Régua, um momento que reuniu diversas figuras da região, bem como parceiros da prova e representantes de associações e grupos de animação que por hábito dão cor e música aos participantes.

Uma das novidade que este ano a prova apresenta é uma nova imagem, “em homenagem à Cidade do Vinho 2019”, afirma Paulo Costa, promotor da prova, na apresentação.

“O bordeaux é a cor que associamos ao vinho e é com essa cor que este ano queremos pintar a região, juntando-lhe uns pontos amarelos que darão ainda mais vida a este mar de gente”.

Outra novidade desta edição é a prova cronometrada dos 6 quilómetros. A distância de pouco mais de 21 quilómetros que compõe uma Meia Maratona requer alguma preparação e muitos dos habituais participantes da caminhada faziam esta distância em corrida, sem objetivo.

“A grande novidade é a competição dos 6 quilómetros, que não tínhamos e que dá agora uma oportunidade a todos aqueles que não querem fazer os 21 quilómetros da Meia, porque requer maior preparação, mas que gostam de fazer os 6 a correr. Este ano a distância será cronometrada e a ideia está a ser um sucesso, estamos a receber inúmeras inscrições”, afirmou Paulo Costa.

No final do evento, Paulo Costa falou em exclusivo ao VivaDouro, expressando a sua satisfação pelo sucesso obtido com um evento que teve início há 14 anos e que hoje “tem uma dimensão internacional”, como sublinharam diversos convidados.

“Como organizador significa que o plano traçado de gestão, de promoção e de objetivos, está a ser cumprido. Mas o que realmente a todos nós nos satisfaz é que, enquanto duriense, é absolutamente arrebatador.

Todos nós sonhamos lá atrás, e fomos muitos, não há aqui ninguém que se deva evidenciar, porque foi muita gente, usando o Douro que os nossos antepassados nos deram e nos delegaram, utilizando a fantástica N222 entre a barragem de Bagaúste e a cidade de Peso da Régua. É um sonho transformado em realidade, materializado em algo que é concreto, um valor real para o território e que eu considero que satisfaz todos os players da região, desde o turismo aos produtores de vinho, aos jovens empreendedores, por isso é uma satisfação gigantesca.

Só que nunca participou não sabe o que perde. Venham participar desta festa, desta celebração e façam deste evento aquilo que é o seu objetivo, deem vida ao Douro”.

No decorrer do evento Paulo Costa entregou ainda a primeira medalha à madrinha do evento Aurora Cunha que a dedicou ao professor Martim Moniz Pereira, “pelo seu papel no desporto nacional”.

No final os convidados reuniram-se para o tradicional brinde feito pela Confraria dos Enófilos do Douro, agora presidida pela Mestre Procuradora Marta Macedo.

O VivaDouro falou ainda com os responsáveis políticos e institucionais, bem como a madrinha da prova, Aurora Cunha, no decorrer do evento. Saiba o que disseram estes intervenientes na realização do evento.

José Manuel Gonçalves – Presidente da CM da Régua

Eu diria que a cidade de Peso da Régua é mais um parceiro deste grande evento, nunca o personalizamos na Régua, é um evento da região e quem o acolhe não é relevante.

Para a região este é um evento fantástico, que já leva 14 edições, já se afirmou e consolidou na região e tem servido de exemplo para outros eventos que têm sido organizados e que se vêm afirmando neste território.

Este foi o evento pioneiro, o primeiro desta dimensão, hoje, o Douro já não se vê sem este evento. Um evento de natureza desportiva mas é muito mais do que isso, é um evento onde a divulgação e a promoção da região é uma realidade efetiva e é isso que nós, região, temos como objetivo, a nossa promoção no mundo.

Este evento consegue trazer o mundo ao Douro mas também leva o Douro ao mundo e este é o caminho. Está de parabéns o promotor e todos aqueles que, ao longo destes anos, têm mantido este evento de dimensão internacional que afirma a região no país e no mundo.

Carlos Silva – Presidente da CIM Douro

Termos a oportunidade de termos uma ação desportiva, amiga do ambiente, que vai de encontro aquilo que é o Douro, a paisagem natural, o nosso rio, as nossas gentes, é, evidentemente, a cereja no topo do bolo. São mais de 20 mil pessoas, de mais de 30 países, que depois proliferam pelo país fora e por todo o mundo. É a melhor promoção, a melhor divulgação que podemos fazer de um território como o nosso, que está aqui encravado no interior de Portugal e que muitas das vezes é esquecido.

Um evento destes trás até nós gente de todo o lado que depois certamente irá dizer que o Douro é uma região fantástica, com ótimas condições para se viver, onde só falta um pequeno empurrão do Governo para que ganhe toda uma nova dinâmica.

No mundo em que estamos, em pleno século XXI, uma região que se agarre a pilares como o desporto, a educação ou a cultura,  é um território com futuro.

Luís Pedro Martins – Presidente Turismo Porto e Norte de Portugal

Por aquilo que se viu nesta apresentação, a importância deste evento é total. Durante esta apresentação falou-se de desporto, mas também se falou de património, de cultura, gastronomia, vinhos, paisagem, um sem número de coisas para além do desporto.

Sempre que há um evento desta dimensão, com a capacidade de atrair milhares de turistas nacionais e estrangeiros, à região, são eventos muito bem vindos. Nós precisamos de ter outro tipo de conteúdos para além da paisagem natural e dos produtos que temos para oferecer. Sejam as festas ou, neste caso, a Meia Maratona que tem uma importância enorme para o turismo em toda esta região.

Paulo Magalhães – Representante EDP

Neste momento apoiamos mais de 20 eventos deste tipo. Neste tipo de prova identificamos os valores que estão no nosso ADN, ou seja, a sustentabilidade, a saúde e o bem-estar das pessoas. O desporto é um ótimo caminho para a promoção de uma vida mais saudável.

Depois temos também o dever de contribuir para o desenvolvimento das regiões onde estamos presentes e, aqui no Douro, estamos presentes desde meados do século passado, portanto sentimo-nos parte da região e esse dever é quase uma obrigação.

Com este tipo de evento promove-se a imagem da região e gera-se desenvolvimento económico, e nós queremos estar associados a isso.

Aurora Cunha – Ex-atleta e madrinha da prova

É um prestígio muito grande e um enorme orgulho. No ano passado, quando o Paulo Costa para vir apadrinhar esta iniciativa, fiquei a conhecer a realidade que é esta Meia Maratona do Douro Vinhateiro. Sabia que diziam que é “A Mais Bela Corrida do Mundo” e é verdade, tem paisagens fantásticas.

Depois no dia do evento tive oportunidade de partilhar toda a emoção e a importância deste evento para a cidade da Régua e para a região. Por isso é um orgulho fazer parte de uma equipa e de um projeto que veio dar visibilidade à cidade, ao Douro, e às suas gentes, e isso também é importante para termos uma melhor qualidade de vida.

Eu vivi as vitórias e as derrotas, sei o que é a emoção das pessoas sentirem o apoio de alguém que fez muito pelo desporto neste país. Eu sou uma atleta diferente, gosto de correr um pouco com todos os atletas, porque sei a alegria que lhes transmito por me terem ao seu lado, e espero continuar a fazê-lo porque é o que gosto.

, , ,