Etapa regional do CCA realizou-se na Escola de Hotelaria e Turismo da região

Rui Martins foi o vencedor da etapa Norte- Centro | Foto: Direitos Reservados

Rui Martins foi o vencedor da etapa Norte- Centro | Foto: Direitos Reservados

Realizou-se na Escola de Hotelaria e Turismo do Douro – Lamego, a 1.ª etapa regional do concurso Chefe Cozinheiro do Ano 2016 (CCA). Rui Martins foi o vencedor da etapa Norte-Centro.

Chefe Cozinheiro do Ano é um concurso organizado pelas Edições do Gosto e pela revista INTER magazine, uma revista profissional que existe há vinte e sete anos, o mesmo tempo do concurso. Na competição profissional só podem inscrever-se chefes ou subchefes de cozinha a exercer a profissão há mais de 5 anos ou com mais de 23 anos de idade.

Segundo Rita Cupido, uma das organizadoras do CCA, para conseguir participar e alcançar resultados no concurso, “é preciso treinar bastante e ter experiência, não é um concurso para amadores mas sim para profissionais”.

Os participantes do Chefe Cozinheiro do Ano têm que se inscrever perante o regulamento anual que a organização publica, no qual existem três produtos obrigatórios. Na edição de 2016 os produtos obrigatórios são o bacalhau salgado seco da Noruega, a vitela D.O.P. e o ananás dos Açores. O júri faz a primeira triagem através das receitas e fotografias que os concorrentes enviam, escolhe os seis melhores de cada região e seguem-se três etapas regionais: Norte-Centro, Lisboa e Sul-Ilhas.

São escolhidos seis concorrentes para cada etapa regional e, após seis horas de confeção, há um júri técnico e um júri de prova, que avalia “a forma como são preparados os produtos, como tecnicamente os arranjam, o sabor, aroma, a apresentação, são alguns dos principais pontos avaliados”, sublinhou Rita Cupido, acrescentando que “depois da prova nas três regiões, os dezoito concorrentes têm uma pontuação que foram conseguindo ao longo das provas e os seis melhores passam à final”.

O evento decorreu na Escola de Hotelaria e Turismo do Douro-Lamego, porque “é uma escola com excelentes condições e é muito importante para nós darmos condições iguais a todos os participantes”, afirmou a organizadora, apontando a “hospitalidade” e as “ótimas condições técnicas” como pontos fundamentais para a escolha feita pela organização.

Este ano, pela primeira vez, existe no concurso uma fase de formação. “Os concorrentes já visitaram uma fábrica de bacalhau, viram como é feita a demolha e a seca, visitaram também um dos nossos parceiros no fabrico de facas. Posteriormente irão visitar campos de arroz. Os seis finalistas vão ainda ter a possibilidade de ir à Noruega, participar na pesca do bacalhau”, contou Rita Cupido ao VivaDouro.

O vencedor da etapa Norte foi Rui Martins, que apresentou o menu completo Carapau, açorda e gaspacho,  Bacalhau Salgado Seco da Noruega com todos (a terra e o mar), Jardineira de Vitela D.O.P. e o Ananás, coco e lima.

, , ,